Publicidade

Estado de Minas

Alberto Fujimori recebe indulto humanitário de presidente do Peru

Ex-presidente que cumpria pena por corrupção e crimes contra a humanidade cumpria pena de 25 anos. Segundo imprensa local, governo alega doença incurável


postado em 24/12/2017 23:56 / atualizado em 25/12/2017 00:09

(foto: AFP PHOTO / Raul Garcia)
(foto: AFP PHOTO / Raul Garcia)
Alberto Fujimori recebeu um indulto humanitário neste domingo. O ex-presidente do Peru, de 79 anos, cumpria uma pena de 25 de prisão por corrução e crimes contra a humanidade cometidos durante a sua gestão, de 1990 a 2000. Ontem, Fujimori foi internado em um hospital por conta de um sintoma cardíaco.

O indulto foi concedido pelo presidente Pedro Pablo Kuczynski. Segundo a imprensa peruana, um comunicado da presidência da república informa que a junta médica que avaliou Fujimori determinou que ele “sofre de uma doença progressiva, degenerativa e incurável e que as condições carcerárias representam um grave risco à sua vida, saúde e integridade”. O indulto foi concedido a Fujimori e outras sete pessoas em condições similares às 18h (hora local) deste domingo. 

O deputado Kenji Fujimori, um dos filhos do ex-presidente, usou o Twitter para agradecer ao presidente o que definiu como um "gesto nobre e magnânimo".



Fugimori estava preso desde 2007. Em 2013, o ex-presidente peruano teve negado um primeiro pedido de indulto que foi solicitado por sua família. E no início deste ano, o Tribunal Constitucional declarou-se contra a anulação do processo pelo qual ele foi sentenciado a 25 anos de prisão, até 2032, quando completará 94 anos.

Ele foi acusado como autor indireto do assassinato de 25 pessoas - casos La Cantuta e Barrios Altos - pelas mãos de um esquadrão da morte, durante sua luta contra a guerrilha maoista Sendero Luminoso. Também por sequestro agravado pela detenção arbitrária de um empresário e um jornalista.

A saúde de Fujimori vinha despertando acalorados debates no Peru desde que o presidente Kuczynski assegurou em abril que avaliava conceder o indulto humanitário baseado em um relatório médico independente. Várias fontes indicavam que o benefício poderia ser outorgado no fim do ano. (Com agências)


Publicidade