Publicidade

Estado de Minas

Colunista do EM relata terror e enchentes durante passagem do furacão Irma


postado em 10/09/2017 21:56 / atualizado em 10/09/2017 22:47


O furacão Irma chegou à Flórida, causando menos estragos do que o esperado. Entrou por Key West com força na categoria 4, mas foi perdendo força e a previsão era de que chegasse em Tampa e Orlando com categoria 2, mais ou menos uma tempestade tropical. Mesmo não atingindo Miami em cheio, como era a previsão, o Irma derrubou postes, causou estragos e fez com que mais de 2,5 milhões de pessoas ficassem sem luz, sem água, sem condições básicas de necessidade. Muita inundação, sem condições de tráfego. Mesmo assim as autoridades aconselham a ninguém sair às ruas, por causa dos fortes ventos e das ruas alagadas, que podem esconder fios de alta tensão caídos e placas de sinalização. Quando o centro do furacão se afastar, os ventos voltarão muito rapidamente. A previsão é de que o olho do furacão Irma se mova até a costa oeste da Flórida, até a noite desta segunda-feira, podendo chegar ao estado da Geórgia.

O que mais se viu por parte de pessoas que resolveram desobedecer as ordens das autoridades e ficaram em Miami e outras cidades, foram imagens assustadoras, com ventos de mais de 200 km por hora, muitas árvores caídas e muita inundação. Vários vídeos, que rodaram as redes sociais, foram feitos. Mais de 600 mil casas ficaram sem energia. Em algumas partes da costa, deveremos ter ondas na casa dos 5 metros de altura. Tampa, cidade próxima Orlando, recebeu ordem de evacuação, no sábado, diante da mudança de rota do furacão. Ela será atingida em cheio. Key West, uma cidade linda, na ponta da Flórida, ficou bastante destruída. Mais de 30 mil homens da guarda nacional, de várias partes do país, foram mandados para a Flórida, para ajudar nos resgates.

Um guindaste, de uma construção em Miami, caiu sobre um edifício, no centro da cidade(foto: AFP)
Um guindaste, de uma construção em Miami, caiu sobre um edifício, no centro da cidade (foto: AFP)

Um guindaste, de uma construção em Miami, caiu sobre um edifício, bem no centro da cidade. Ninguém ficou ferido. Não havia tempo hábil para a retiradas dos guindastes, que suportam ventos de até 230 km por hora. Por isso mesmo, as autoridades determinaram que quem morasse perto de construções, saíssem de suas casas. As escolas estão informando que os alunos não terão aula até terça-feira, mas é bem provável que estendam esse prazo até segunda-feira da próxima semana, pois será preciso um trabalho gigantesco para escoar a água que inunda as ruas das cidades atingidas pelo Irma, além do conserto de energia elétrica e o reabastecimento de água. Um outro problema grave será o da volta das mais de 5 milhões de pessoas que deixaram a Flórida em direção aos outros estados. Não se sabe como os motoristas encontrarão as estradas atingidas pelo furacão, se terão gasolina para o reabastecimento, quantas horas levarão para voltar à suas cidades. Embora o Irma tenha perdido força, ele ainda é muito destrutivo, e deverá causar mais inundações e problemas por onde for passando.

Carro fica quase submerso após inundação em Miami (foto: AFP)
Carro fica quase submerso após inundação em Miami (foto: AFP)

Os hotéis de Louisiania, Geórgia e outros estados mais ao centro e ao norte do país, estão lotados. O problema é que ninguém sabe quando poderá começar a retornar às suas casas. Há pessoas sem dinheiro para pagar hotel por muito tempo, e a situação começa a ficar dramática. A companhia telefônica AT&T, num gesto de solidariedade, não está cobrando mensagens de texto e ligações durante o período em que o furacão Irma estiver em atividade. Há uma preocupação muito grande das autoridades em conseguir vistoriar as estradas pelas quais vão passar os mesmos 5 milhões de habitantes da Flórida, que deixaram suas casas às pressas, para fugir do Irma. Como o furacão ainda está avançando, não se sabe que tipo de dano poderá causar e se alguma via ficará interditada. As autoridades desaconselham que as pessoas comecem a voltar à partir desta segunda-feira, pois acham muito cedo, diante do que ainda pode ocorrer.

BARCOS


Alguns barcos, ancorados na baía de Miami, se soltaram das âncoras, mas nada de mais grave foi registrado. Como o furacão Irma desviou, pois a previsão era atingir Miami em cheio, o que se vê por lá são tempestades fortíssimas e tornados, causados justamente pelo fenômeno. Vale destacar que ainda que passando de forma menos letal pela cidade mais conhecida da Flórida, o Irma causou estragos que ainda não são dimensionados sob o ponto de vista econômico e financeiro. Somente depois que o Irma se dissipar, as autoridades americanas terão a proporção dos estragos e dos valores para a restauração das cidades. Os ventos fortes, tornados e a chuva, ficarão por muitos dias. O fato de o Irma ter atingido grau 2, não implica dizer que não continua perigoso. Menos mau que foi rebaixado de categoria, mas ainda é letal. Há informações de que 3 pessoas morreram na Flórida, até agora.

 Miami inundada após a chegada do furacão Irma (foto: AFP)
Miami inundada após a chegada do furacão Irma (foto: AFP)

Aqui em Nova Orleans as autoridades garantem que o Irma não chegará, mas existe a possibilidade de muitas tempestades, que poderão causar enchentes, já que a cidade fica abaixo do nível do mar. Como há 12 anos houve o furacão Katrina, que destruiu a cidade, as pessoas aqui na cidade do Jazz ficam bastante preocupadas. Outro fato que contribui bastante para a chegada de furacões, em Nova Orleans, é a proximidade com o Golfo do México.

Ainda falando sobre a Flórida e Miami, os tornados são uma constante e as tempestades continuam torrenciais. A quantidade de água, inundando as cidades é assustadora. Não se sabe quando as tempestades vão parar e quando a água começará a ser escoada, e para onde. A situação ainda é muito dramática. Algumas pessoas que estão em Miami relataram ao EM que estão sem luz, que a água potável está acabando e que as ruas estão completamente alagadas.

Segundo depoimento de alguns, vidros de apartamentos, à prova de furacões, não resistiram, e alguns deles estão alagados. Os ciclones e tornados se sucedem, e as imagens são assustadoras. Só ontem, na região de Sunny Isles, quatro tornados aconteceram. Os telefones celulares, que ainda têm carga, alertam a todo o momento a chegada de tornados. Já são 12 horas de ventos fortes na cabeça das pessoas, desespero e pânico. A sensação de alívio só irá acontecer, quando o Irma se dissipar, totalmente, e as pessoas puderem retornar para suas casas, sãs e salvas. Para quem já viveu o drama de enfrentar um furacão, é desesperador, o que dizer de pessoas que passam por esse fenômeno, pela primeira vez ?

Vale lembrar que amanhã é dia 11 de setembro, um dia traumático para os americanos e para o mundo, pois há 16 anos, terroristas cometeram o maior atentado da história, derrubando as duas torres do World Trade Center, em Nova Iorque. O país inteiro estará de vigília e oração pelas vítimas daquela tragédia, estendendo suas orações para que o Irma se dissolva o mais rápido possível.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade