UAI
Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA

Polícia descarta latrocínio na morte de chefe de fiscais em Patrocínio

A Polícia Civil segue duas linhas de investigação: desentendimento interno no trabalho ou vingança


08/12/2021 15:46 - atualizado 08/12/2021 16:20


delegado Renato Mendonça e a vítima Lázaro Gilberto
O delegado Renato Mendonça (esquerda) disse que a perícia da PC constatou que a vítima sofreu três graves ferimentos na cabeça; à direita, a vítima Lázaro Gilberto (foto: Patrocínio On Line/Redes Sociais/Divulgação)
 
A partir de duas linhas de investigação, a Polícia Civil de Patrocínio, no Alto Paranaíba, tenta esclarecer o assassinato do chefe de equipes de fiscais do Sistema de Inspeção Federal (SIF) da cidade, Lázaro Gilberto Borges, de 68 anos, que foi encontrado morto, com ferimentos na cabeça, na tarde da última segunda-feira (6/12).
 
A polícia divulgou que dois homens, ainda não identificados, foram vistos, por meio de câmeras de segurança, abordando a vítima, possivelmente, pouco tempo antes de ser morta.
 
Em entrevista ao site Patrocínio On Line, o delegado Renato Mendonça, descartou o crime de latrocínio e explicou sobre as duas linhas de investigação. “Averiguamos que a vítima possuía um possível desafeto dentro do órgão que ele trabalhava, então trabalhamos nesta linha investigativa. Ou pode ter sido vingança devido ao cargo que ele exerce de fiscal, ou seja, às vezes ele pode ter tido algum atrito com alguém que foi fiscalizado”, disse.
 
Lázaro Borges era chefe da equipe de fiscais do SIF, que atuava em frigoríficos, localizado na BR-365, proximidades do distrito de São João, município de Patrocínio.
 
Segundo o delegado Mendonça, foram levantados muitos indícios como pegadas e digitais na enxada usada para cavar a cova da vítima.
  
“Provavelmente ele levou três pauladas porque ele estava com lesões muito sérias na cabeça, mas o instrumento utilizado ainda não foi localizado e apreendido. Temos imagens de câmeras de segurança da vítima sendo abordada por dois autores e agora vamos identificar eles e o possível mandante", disse. 

"Acredito que é questão de tempo para identificarmos os autores que sabiam toda a rotina dele, onde ele passava, onde existe mato mais alto; então foi um crime premeditado mesmo”, assegurou o delegado.
 
Além destas informações, o delegado finalizou que há outras informações que foram levantadas, mas que, neste momento, não podem ser repassadas.
 
Antes de ser encontrado próximo a condomínio de luxo, Lázaro ficou desaparecido há cerca de um dia, após ter saído para realizar caminhada no final da tarde do último domingo (5/12).
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade