Publicidade

Estado de Minas VIDA POR UM FIO

Campanha em Minas alerta para os riscos do cerol e linha chilena

No primeiro semestre deste ano, polícia já recebeu quase o mesmo número de denúncias de todo o ano passado


22/07/2021 14:03 - atualizado 22/07/2021 16:07

Férias escolares de julho, ventos fortes e céu azul: época e condições ideais para empinar pipas(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Férias escolares de julho, ventos fortes e céu azul: época e condições ideais para empinar pipas (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
O governo de Minas lançou a segunda edição da campanha on-line "A vida por um fio", que tem como objetivo alertar a população sobre os riscos do uso de cerol e linha chilena, incentivar a denúncia do comércio ilegal desse material e também dos locais onde são fabricados. A iniciativa é da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).
 
Balanço do 181, serviço destinado ao recebimento de informações dos cidadãos sobre crimes de que tenham conhecimento e possam auxiliar o trabalho policial, aponta que, somente no primeiro semestre deste ano já foram recebidas 426 denúncias de comércio ilegal desses produtos. 

O número se aproxima do total de todo o ano passado, quando foram feitas 539 denúncias. Em caso de flagrantes de alguém soltando pipa ou papagaio com linhas cortantes, a orientação é acionar o 190 ou a Guarda Municipal.
 
A campanha teve sua primeira edição em julho do ano passado, mês de férias escolares, ventos fortes e céu azul. Época e condições ideais para empinar pipas ou papagaios fabricados por crianças, adolescentes e até mesmo adultos.

O vídeo e as peças gráficas que serão distribuídos ao longo dos próximos dias abordam o quanto é arriscado empinar esses brinquedos perto de linhas elétricas ou no alto de telhados e lajes, em locais movimentados e, especialmente, se estiverem com linhas cortantes.
 
Todas as peças divulgam e estimulam a denúncia do comércio de linha chilena e cerol, por meio do Disque Denúncia Unificado (DDU), o 181, cuja ligação é gratuita e de anonimato garantido. O serviço funciona nos 853 municípios do estado, 24 horas por dia, sete dias por semana.
 
A lei estadual que veda a comercialização e o uso de linha cortante em pipas, papagaios e similares está em vigor desde dezembro de 2019. A multa para quem for flagrado vendendo linhas cortantes varia de R$ 3.590 a R$ 179 mil (para casos de reincidência).

Já quando a linha cortante apreendida estiver em poder de criança ou adolescente, seus pais ou responsáveis legais serão notificados da autuação e o caso será comunicado ao Conselho Tutelar.
 

Fique ligado:

 
* Não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos.
* Evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos. Procure locais abertos como praças e parques.
* Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola.
* Não empine pipa em cima de lajes e telhados.
* Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas, linha chilena ou com cerol. Também não faça pipas com papel laminado. O risco de choque elétrico é grande.
* Tenha cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Pode haver algum buraco ou tráfego de veículos.
* Tenha atenção especial com motociclistas e ciclistas - a linha pode ser perigosa para eles mesmo sem cerol. Fique atento para que a linha não entre na frente deles.
* Se a pipa se enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. Nunca use canos, vergalhões ou bambus.
* Ao correr atrás das pipas, tenha muito cuidado com o trânsito.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade