Publicidade

Estado de Minas SOMMELIER DA VACINA

Polícia investiga se irmão de vice-prefeita foi privilegiado na vacinação

Janete nega e pede apuração; áudio que circula em Divinópolis diz que ele foi levado para outro endereço para ser vacinado com a Pfizer em vez da AstraZeneca


09/07/2021 19:54 - atualizado 09/07/2021 20:04

Posto de vacinação do Centro Administrativo, em Divinópolis(foto: Pablo Santos/Prefeitura de Divinópolis)
Posto de vacinação do Centro Administrativo, em Divinópolis (foto: Pablo Santos/Prefeitura de Divinópolis)
A Polícia Civil (PC) investiga se houve alguma irregularidade no processo de vacinação contra a COVID-19 em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas.

LEIA TAMBÉM: Divinópolis altera sistema para tenta barrar 'sommeliers da vacina'

O órgão foi acionado, nesta sexta-feira (9/7), pela própria vice-prefeita Janete Aparecida (PSC) após vazamento de um áudio sinalizando que ela teria privilegiado o irmão com escolha de vacina.

Na gravação, um dos supostos membros da equipe de imunização alega que ela os teria feito vaciná-lo mesmo com o agendamento para outro drive-thru.

O ponto de vacinação de origem de Jean Carlos Geraldo da Silva seria o do Centro Administrativo – na sede da prefeitura, no Bairro Belvedere, onde estava sendo aplicada a AstraZeneca.

“Como a Pfizer estava lá na Pitangui, mandou uma ordem pelo assessor dela, o Juninho, para a gente obedecer. Aí teve que fazer. Ai que raiva. Ainda fica falando que não está privilegiando ninguém”, diz um dos supostos membros da equipe no áudio que circula nas redes sociais.

O irmão da vice-prefeita estava cadastrado para se vacinar no dia 26 de junho, às 11h, conforme documento que pode ser acessado a partir de consulta por CPF no site da prefeitura.

Ele se enquadra no grupo prioritário de motoristas. Entretanto, não compareceu alegando que estava em viagem na data.

“Sem privilégios”

A vice-prefeita negou ter privilegiado o irmão. Por meio de nota encaminhada pela diretoria de comunicação, afirmou que todas as pessoas de grupos prioritários que perderam a data de vacinação, e que apresentam motivo para a ausência, são designados para o drive-thru com menor agendamento do dia.

Essa designação é feita pela Central de Atendimento da Vacinação ou pelos coordenadores da triagem. “O irmão da Janete realizou o cadastro por ser motorista de caminhão, mas, pelo fato de fazer viagens por todo o Brasil, não pôde se vacinar na data que foi selecionada no cadastro”, explicou.

Ele foi realocado para o drive com o menor público no dia de ontem (8/7), que no caso foi o ponto de vacinação do Bairro Bom Pastor. “A vice-prefeita não compactua com nenhum tipo de privilégio e abomina qualquer tentativa de escolha de vacina ou fraude”, declarou.

A Polícia Civil confirmou, por meio de nota, que foi acionada pela vice-prefeita e que o caso segue em investigação para apurar se houve prática de infração no processo de vacinação. Disse também que mais informações serão fornecidas em momento oportuno.

Mudança no cadastro

No mesmo dia do ocorrido a prefeitura de Divinópolis informou mudança no sistema do cadastro para tentar barrar os “sommeliers da vacina”. A partir de agora, não é possível mais excluir o cadastro. 

Como o nome da vacina já é informado no ato da confirmação da inscrição, algumas pessoas se ausentavam ou se descadastravam para receber outra marca, em data diferente, a partir do recadastramento.

A partir de agora, mesmo quem se ausentar só poderá ser imunizado com a vacina informada no cadastro. O cidadão deverá procurar o drive-thru onde ela está sendo aplicada e apresentar a ficha de inscrição e demais documentos previamente exigidos.

*Amanda Quintiliano - Especial para o EM
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade