Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Pesquisa constata anticorpos em 99,6% dos profissionais vacinados em hospital de BH

Estudo analisou quase 1 mil amostras;


30/04/2021 12:20 - atualizado 30/04/2021 13:40

Pesquisa do Instituto Fiocruz Minas detecta que 99% dos profissionais da saúde que receberam a primeira dose da vacina da COVID-19 apresentaram anticorpos contra o vírus(foto: Fiocruz/Divulgação)
Pesquisa do Instituto Fiocruz Minas detecta que 99% dos profissionais da saúde que receberam a primeira dose da vacina da COVID-19 apresentaram anticorpos contra o vírus (foto: Fiocruz/Divulgação)
Pesquisa realizada pelo Instituto Fiocruz Minas desde fevereiro de 2021, no Hospital da Baleia, em Belo Horizonte, detectou até o momento que 99,6% dos profissionais da saúde já vacinados contra a COVID-19 apresentaram anticorpos após 60 dias da primeira dose da vacina.
 
 
De acordo com Rafaella Fortini, coordenadora do estudo, o objetivo é monitorar o perfil da imunidade que está sendo desenvolvida, observando se há mudanças na resposta gerada. Essas informações poderão contribuir para a tomada das decisões em relação à vacinação contra a COVID-19.
 
A coordenadora ressalta que “o estudo não se trata de saber se a vacina é eficaz, pois isso já foi confirmado antes mesmo de iniciar a vacinação, mas sim de compreender como se comporta a resposta que está sendo gerada”.
 
Além da resposta imunológica pós-vacinação, o estudo da Fiocruz Minas monitora profissionais de saúde vacinados que apresentem sintomas da COVID-19. Os casos suspeitos passam por exame RT-PCR. Até o momento, oito amostras foram analisadas, sendo que para nenhuma delas o resultado foi positivo para a COVID-19.
 
“Até agora, não tivemos casos confirmados. A ideia é que, se houver, possamos fazer o sequenciamento e, com isso, verificar a linhagem do vírus ou ainda se há presença de variantes”, explica a coordenadora.
 
Rafaella acrescenta que "as análises feitas, envolvem as metodologias mais sensíveis, e analisa o vírus como um todo. O estudo serve para coseguir identificar os tipos de anticorpos produzidos por cada pessoa, seja ele total ou específico".
 
Ela informa ainda que uma nova fase de pesquisa já está sendo conduzida. "No momento, são 1.500 amostras analisadas, para resultados após três meses de receber a vacina". 
  
A Fiocruz informa que a pesquisa será realizada ao longo de dois anos com o intuito de monitorar a evolução da resposta imunológica e contribuir com dados que possam indicar a duração da imunidade. E reforça que as avaliações são importantes, pois podem mostrar, por exemplo, a necessidade da aplicação de novas doses, após determinado período.
 
A pesquisa está sendo ampliada para outros hospitais de Belo Horizonte, como o Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro, no Barreiro. Os resultados serão divulgados quando as análises estiverem concluídas.
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade