Publicidade

Estado de Minas SOS GATINHOS DO PARQUE

Cuidadores afirmam que gatos do parque municipal de BH não estão com raiva

Grupo de cuidadores teme que maus-tratos contra os animais cresçam depois que a prefeitura iniciou vacinação dos felinos contra a virose


23/04/2021 20:36 - atualizado 23/04/2021 21:57

Gatinhos do Parque Municipal de BH estão em processo de vacinação contra a raiva(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Gatinhos do Parque Municipal de BH estão em processo de vacinação contra a raiva (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

 

A SOS Gatinhos do Parque, grupo de voluntários que cuida dos felinos do Parque Municipal de BH, garante que os animais não estão com raiva. A prefeitura começou a vaciná-los nesta semana contra a virose, depois que um gambá com suspeita da enfermidade foi encontrado nas dependências do equipamento público.

 

 

 

“Agora, mais do que nunca, precisaremos do apoio e colaboração de todos vocês! Até mesmo para cuidarem de que informações desencontradas e maldosas girem pelas redes sociais, fazendo com que aconteça ainda mais abandonos ou maus-tratos”, escreveu o grupo no Instagram.

 

De acordo com a SOS Gatinhos do Parque, boa parte dos cuidadores não pode mais entrar no equipamento público localizado no coração da capital mineira.

 

Isso porque a prefeitura exige apresentação de um laudo clínico para comprovar que essa pessoa está protegida contra a raiva.

 

O esquema vacinal da raiva prevê quatro doses. Já o teste sorológico, segundo a entidade, não é oferecido pelo SUS-BH. Portanto, o cuidador precisa fazê-lo na rede privada, onde o exame custa cerca de R$ 270.

 

"Neste momento é importante ressaltar que não há nenhum registro de felino contaminado com o vírus da raiva. O projeto continua com a administração e logística das rações doadas", informou a SOS Gatinhos no Parque em comunicado.

 

O que diz a prefeitura?

 

Nessa terça (20/4), agentes da Prefeitura de Belo Horizonte deram início aos trabalhos de captura dos gatos no Parque Municipal. Até que seja feito um controle, o parque vai ser o único na capital a permanecer fechado.

 

A Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica e a Secretaria Municipal de Saúde informaram ao Estado de Minas que as causas do óbito do gambá estão ainda em investigação.

 

"Por causa de um gambá, vamos vacinar 2 mil gatos. Já iniciamos esse processo", disse o prefeito Alexandre Kalil (PSD) em coletiva nessa segunda (19/4).

 

Segundo a prefeitura, o plano de manejo dos gatos do parque já inclui nos trabalhos de rotina a castração e a vacinação desses animais. Também é feita a identificação com microchip para monitoramento de dados sanitários de cada um.

 

Com informações de Natasha Werneck 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade