Publicidade

Estado de Minas VIOLENCIA INFANTIL

Polícia Civil faz live sobre agressão infantil nesta terça (20/4)

A transmissão será às 19h, pelo Instagram da Policia Civil de Minas Gerais


20/04/2021 13:04 - atualizado 20/04/2021 15:14

Delegada Renata Ribeiro, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca)(foto: PCMG/Reprodução)
Delegada Renata Ribeiro, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) (foto: PCMG/Reprodução)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), fará nesta terça-feira (20/4) uma live em seu Instagram às 19h para abordar o tema agressão à criança.
 
Segundo a delegada Renata Ribeiro, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), "a morte do menino Henry Borel, de 4 anos, no Rio de Janeiro, provocou um alerta em relação a agressões contra crianças. Logo, surgem questionamentos sobre os riscos e as garantias para a criança. Hoje, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) vai falar sobre o enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes, crimes que muitas vezes sequer são levados ao conhecimento da polícia ou mesmo do Conselho Tutelar’’, explica a delegada.  
 
A live vai contar com a participação da delegada Renata Ribeiro e da analista da PCMG, a psicóloga Lusia Jaqueline, que também atua na Depca. A mediadora será a delegada Nicole Perim, lotada na Delegacia de Polícia de Vespasiano. 
 
Os assuntos da live serão:
 
  • Informações sobre os direitos das crianças e adolescentes: Doutrina da Proteção Integral do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); dever da sociedade de assegurar os direitos fundamentais; Lei 13.010; e crimes e violência psicológica. 
  •  Sinais visíveis e invisíveis da violência; consequências; atendimento psicológico; escuta realizada na delegacia; e exemplos práticos.  
  • Providências policiais; investigação; exame de corpo de delito; e medidas de proteção.
 
Renata Ribeiro ressalta que as vítimas são desrespeitadas como pessoa humana e têm seus direitos violados, na maioria das vezes, por quem tem a obrigação de protegê-las. "As crianças não conseguem pedir socorro e são desacreditadas em seus relatos. Todos os sinais físicos e alterações de comportamento devem ser observados, e qualquer pessoa que tenha suspeita que uma criança esteja sendo vítima de violência tem o dever de denunciar."
 
Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 70% dos casos de abuso infantil acontecem dentro da residência. 
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade