Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Imunizantes furtados vão parar no lixo


20/04/2021 04:00 - atualizado 19/04/2021 23:16

Doses furtadas foram descartadas em um lote vago e, fora da geladeira, tiveram a eficácia comprometida (foto: Polícia Militar/Divulgação)
Doses furtadas foram descartadas em um lote vago e, fora da geladeira, tiveram a eficácia comprometida (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Doses da vacina contra a COVID-19,  aguardadas por milhões de brasileiros como esperança para salvar vidas, jogadas em um lote vago e desperdiçadas em meio à pandemia, que já provocou 30.397 mortes em Minas Gerais, onde 1.281.421 pessoas se contaminaram com o coronavírus, de acordo com boletim de ontem da Secretaria de Estado de Saúde. Este foi o desfecho de um furto ocorrido em Montes Claros, no Norte de Minas no fim de semana. O suspeito de furtar 319 doses da CoronaVac foi preso pela Polícia Militar. O crime ocorreu no posto de saúde do Bairro Independência,  região Norte da cidade, na madrugada de sábado, mas só foi descoberto na manhã de ontem, quando os funcionários da unidade de saúde chegaram ao local para trabalhar.

Os imunizantes foram recuperados, mas não serão usados. De acordo com a secretária municipal de Saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta, as 319 doses da vacina serão devolvidas para a Secretaria de Estado de Saúde uma vez que ficaram fora da geladeira e, com isso, tiveram a eficácia comprometida.

De acordo com a PM, o suspeito, de 30 anos, que já tinha várias passagens na polícia por furto, roubo, tráfico de drogas, ameaça e lesão corporal, confessou que furtou as doses, divididas da seguinte forma:   29 ampolas com 10 doses cada e outros 29 frascos, com uma dose cada.

Ainda segundo a PM, o suspeito, teria oferecido a vacina a pessoas do Bairro Independência, onde mora, ao preço de R$ 350, mas não encontrou comprador. O caso ainda será investigado pela Polícia Federal, tendo em vista que os imunizantes enviados ao município pela corporação.

Como não conseguiu encontrar “freguês”, informou a PM, o homem relatou que, no domingo, retornou ao posto de saúde, onde colocou novamente na geladeira as 29 ampolas com 10 doses em cada frasco (290 doses). As outras 29 doses foram descartadas pelo autor confesso em um lote vago na Rua Jamaica, a oito quarteirões do local do furto, no mesmo Bairro Independência. Ontem, depois de ser preso, o suspeito levou os policiais até o local, onde as ampolas foram encontradas, mas já perdidas, por terem permanecido mais de 24 horas fora da temperatura ideal de conservação.

TRATAMENTO DENTÁRIO 


Conforme o tenente Rafael Rabelo Versiane, da Assessoria de Comunicação da 11ª  Companhia Independente de Policiamento Especializado da PM, o suspeito relatou ao fazer um tratamento dentário na unidade de saúde do Bairro Independência, próximo da casa dele, percebeu as vacinas numa geladeira e “facilidade para cometer o delito”, ainda que o prédio tenha sistema de vigilância eletrônica. Segundo o militar, na madrugada de sábado, o alarme de segurança do posto de saúde disparou. Funcionários da empresa de segurança foram até o local,  mas não perceberam o furto.

A PM chegou até o suspeito pelo seu serviço de inteligência. Os policiais foram até a casa do homem, mas não e o encontram. Na manhã de ontem, ele voltou ao posto de saúde para prosseguir o tratamento dentário, como se nada tivesse acontecido. O suspeito foi preso na volta para casa. A Secretaria de Saúde de Montes Claros informou que apesar do fato, o calendário de vacinação contra COVID-19 segue normalmente na cidade, onde, atualmente, estão sendo vacinadas pessoas acima de 65 anos.






receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade