Publicidade

Estado de Minas COLISÃO

Polícia indicia caminhoneiros após acidente com morte

Batida foi provocada por motorista de caminhão, que forçou automóvel a ir para a contramão


16/04/2021 16:15 - atualizado 16/04/2021 19:48

Delegado Renato Alcino, 2º da direita para a esquerda, e o perito Warlison Duarte, à esquerda(foto: PCMG)
Delegado Renato Alcino, 2º da direita para a esquerda, e o perito Warlison Duarte, à esquerda (foto: PCMG)

Três motoristas de caminhão, de 39, 45 e 53 anos, foram indiciados por homicídio triplamente qualificado. Eles são suspeitos de assassinar um homem e deixar outras duas pessoas gravemente feridas, depois de provocarem acidente entre um ônibus e um Fiat Uno, na rodovia MGC-146, que liga Tapira a Araxá, no Alto Paranaíba.

O acidente foi no último dia 30 de março deste ano. Um veículo, com três pessoas, colidiu contra um ônibus, que viajava no sentido contrário. Um dos ocupantes do carro, o motorista, de 27 anos, faleceu no local, e os dois passageiros, de 28 e 29 anos, ficaram gravemente feridos.

 

Segundo levantamentos feitos pela Polícia Civil, o motorista do caminhão que transportava batatas, que estava acompanhado do filho, seria o maior responsável pelo acidente, pois ele teria se irritado com uma ultrapassagem feita pelo motorista do automóvel, que acontecera alguns quilômetros antes do local do acidente. Ele teria tentado jogar o veículo para fora da estrada.

 

Um vídeo, gravado por um dos passageiros do carro, foi determinante para solucionar o caso. Este revelou que o veículo havia iniciado a ultrapassagem de um caminhão branco, que seguia no mesmo sentido.

 

No vídeo, o motorista deste caminhão, tangencia seu veículo mais para a esquerda da via, fazendo movimento nítido para dificultar ou impedir a passagem do automóvel. Isso foi confirmado pelo caminhoneiro.

 

O motorista do primeiro caminhão ultrapassado passou uma ordem, via rádio, para que o Uno fosse interceptado. Ele teria dito: “Segura ele aí, não deixa ele passar não”. Um terceiro caminhão, vermelho, também participou da ação. 

Por fim, o motorista alcançou o Fiat Uno e o fez sair da pista, atingindo um ônibus que vinha no sentido oposto e causando o acidente.

Segundo policiais, a investigação e o laudo pericial demonstraram a dinâmica do ocorrido, como a causa, circunstâncias e responsabilidade.

 

“Esse serviço realizado pela Polícia Civil como um todo foi extremamente complexo. O trabalho de investigação e os elementos fornecidos para auxiliar na análise do local foi preponderante para conseguirmos chegar a essa conclusão. A análise dos vídeos foi fundamental, sem o auxílio das informações coletadas pela investigação ficaria difícil de predizer a dinâmica do acidente com a riqueza de detalhes que ocorreu”, diz o perito criminal Warlison Duarte.

 

A conclusão do inquérito diz que a ação do motorista do caminhão foi por motivo fútil, resultando em perigo comum e impossibilitando a defesa das vítimas. A motivação teria sido a insatisfação do condutor do caminhão por uma manobra de ultrapassagem arriscada feita pelo motorista do automóvel, quilômetros antes, obrigando-o a voltar na mão de direção.

 

O delegado Renato Alcino, cita que “não se tem dúvidas que este caminhoneiro não apenas assumiu o risco, mas efetivamente desejou causar a morte dos ocupantes do automóvel. Apesar de não ter conseguido na sua primeira investida, alcançou o resultado em relação ao motorista e não causou a morte dos demais passageiros por circunstâncias alheias à sua vontade. Agiu com dolo direto”.

O motorista do primeiro caminhão vai responder por homicídio triplamente qualificado, com motivo fútil e sem possibilidade de defesa das vítimas. Os outros dois vão responder como participantes do crime. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade