Publicidade

Estado de Minas PREVENÇÃO

Vale testa na quinta (8/4) nova sirene da Mina da Mutuca, em Nova Lima

As atividades são previstas nos planos de emergência para barragens de mineração; serão dois acionamentos: um às 9h e outro às 10h


06/04/2021 17:04 - atualizado 06/04/2021 18:03

As sirenes são instaladas em locais indicados pelo PAEBM(foto: Reprodução/Vale)
As sirenes são instaladas em locais indicados pelo PAEBM (foto: Reprodução/Vale)

 
A Vale testará, nesta quinta-feira (08/04), uma nova sirene próximo às barragens B6 e B7 da Mina da Mutuca, em Nova Lima, na Região Metropolitana de BH. A operação, que terá apoio das Defesas Civis estadual e municipal, vai acionar o som das sirenes para teste técnico dos equipamentos. Haverá dois acionamentos: um às 9h e outro às 10h.

As atividades são de caráter preventivo e integram o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM). O objetivo é garantir o adequado funcionamento do sistema sonoro, cumprindo a legislação.
 
 
O som alcançará as áreas operacionais da Vale e localidades próximas, como o Condomínio Pasárgada, o Parque do Engenho e a Estação Ecológico de Fechos. A população já foi avisada sobre o teste e, antes do acionamento, um novo aviso será emitido. Não será necessária nenhuma ação por parte dos moradores.

A nova sirene faz parte do sistema de alerta das barragens das minas da Mutuca, Mar Azul, Tamanduá e da mina de Águas Claras, que já tem teste mensal das sirenes. O primeiro toque, às 9h, será com o som original da nova sirene e o segundo, às 10h, será com música instrumental e poderá ser ouvido na Zona de Autossalvamento (ZAS) das barragens.

Prevenção

A Vale já implantou 98 Planos de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM), em Minas Gerais. São 126 estruturas, em mais de 15 cidades, com ações de cadastro de todos os moradores e estabelecimentos localizados na Zona de Autossalvamento (ZAS). Há, também, sinalização de emergência e definição de pontos de encontro, bem como orientação da população a respeito das rotas de fuga em caso de rompimento de barragens.

Em 2020, cerca de 150 sirenes foram testadas em parceria com as Defesas Civis estadual e municipal. Além dos testes sonoros das sirenes, há os testes silenciosos realizados semanalmente pelos Centros de Monitoramento Geotécnico (CMGs), localizados na Mina de Águas Claras, em Nova Lima, e na Mina de Conceição, em Itabira, que monitoram todas as barragens da Vale no estado, 24h por dia, com o uso de recursos tecnológicos, como: câmeras de vídeo com inteligência artificial, radares, drones de inspeção, piezômetros e geofones. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade