Publicidade

Estado de Minas COLAPSO

Santa Casa de Poços de Caldas sofre com falta de leitos e de medicamentos

Estoque de sedativos para intubação chegou no limite e hospital está com dificuldades até para comprar medicamento substituto


26/03/2021 18:16 - atualizado 26/03/2021 21:33

A Santa Casa de Poços de Caldas está com o atendimento comprometido(foto: Santa Casa/divulgação)
A Santa Casa de Poços de Caldas está com o atendimento comprometido (foto: Santa Casa/divulgação)
A Santa Casa de Poços de Caldas, no Sul de Minas, vem sofrendo com a lotação máxima da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) COVID-19. Além da ocupação total de leitos, nesta sexta-feira (26/3), o hospital anunciou a falta de sedativos para intubar pacientes.

 

Poços de Caldas está na Onda Roxa do Programa Minas Consciente, com 5.944 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 158 mortes confirmadas pela doença.

A Santa Casa, que também atende a região, está com seus 20 leitos de UTI COVID-19 ocupados. A unidade está usando outros 14 leitos de UTI convencional e todos estão lotados.

 

O anúncio foi feito pelo diretor técnico do Hospital, Alberto Volponi. O medico teme que o atendimento fique ainda mais comprometido com a falta de leitos e de medicação.

 

“A grande preocupação é que está acabando uma medicação, que é um sedativo que se usa dentro da UTI, que é o Midazolam, extremamente importante para a sedação dos pacientes em ventilação mecânica. Estamos muito preocupados, porque o mercado não está fornecendo mais essa medicação, não tem possibilidade de compra e os poucos substitutos estamos tentando comprar, mas com muita dificuldade”, explica o diretor.

 

Ele diz que já notificou as autoridades sobre o problema enfrentado no hospital. “Sabemos que é um problema nacional, que isso já chegou ao Ministério da Saúde e parece que existe uma possibilidade do Ministério transferir essas medicações", comenta.

"O fato é que hoje acaba esta medicação e teremos que trabalhar com substitutos que temos uma reserva relativamente baixa, para poucos dias. É importante que a sociedade saiba que a UTI é composta por recursos humanos, equipamentos e medicamentos, e este item faltando vai comprometer a qualidade do atendimento”, completa Alberto Volponi.

 

Além dos leitos de UTI COVID-19, as enfermarias estão com quase 80% de ocupação. Com isso, as cirurgias eletivas estão canceladas e estão sendo feitas apenas cirurgias de urgência e oncológicas.

 

Barreiras na cidade 

 

No fim de semana passado, o Ministério Público deu prazo de 24 horas para a prefeitura analisar as medidas restritivas em combate ao novo coronavírus e enviar novas propostas.

O caso aconteceu após lotação da UTI COVID-19 na Santa Casa de Poços de Caldas.

 

A administração pública acatou o pedido e colocou barreiras sanitárias para impedir a entrada de turistas.

Novo decreto também restringiu funcionamento do shopping, galerias e do Mercado Municipal.

 

.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade