Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Zema fala em surgimento de mutações da COVID-19 em Minas Gerais

Governador relacionou a variante do vírus às aglomerações causadas nas festas de fim de ano


03/03/2021 19:04 - atualizado 03/03/2021 19:38

Zema se mostrou apreensivo com a expansão da doença em Minas(foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
Zema se mostrou apreensivo com a expansão da doença em Minas (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
 
No dia em que anunciou oficialmente a criação da onda roxa do programa Minas Consciente, que será obrigatória para municípios do Triângulo Norte e do Noroeste de Minas, o governador Romeu Zema (Novo) mostrou preocupação com o surgimento de mutações do coronavírus no estado.
 
Segundo ele, os novos vírus seriam responsáveis pela expansão de casos e mortes no estado em 2021. Nesta quarta-feira, foram notificadas 227 óbitos em 24 horas, o segundo maior número desde o início da pandemia – o primeiro ocorreu em 10 de fevereiro, quando 243 pessoas perderam a vida.

“Estamos assistindo a uma segunda onda muito mais intensa do que a primeira. Quando eu falo em onda, é a onda da pandemia. Há um ano, foi criado aquele modelo em que a onda chegaria a um determinado patamar e depois ela iria cair. Isso realmente ocorreu”, afirmou Zema. 

“O que ninguém previu é que uma segunda onda mais forte e intensa chegaria logo em seguida. E muito provavelmente isso ocorreu por termos vírus mutantes diferente do primeiro”, completou o chefe do Executivo.
 
Segundo ele, as mutações estariam relacionadas às aglomerações das festas natalinas, de fim de ano e também dos meses de férias
 

Vacinas 


Zema esteve em Brasília e se reuniu com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A promessa da pasta é de que 20 milhões de doses de vacinas serão disponibilizadas aos estados para dar sequência ao Plano Nacional de Imunização (PNI). Segundo ele, em janeiro e fevereiro, o Brasil contou com cerca de 20 milhões de imunizantes para dividir entre os 26 estados e o Distrito Federal, o que atrasou o processo.

“Atravessamos um oceano inteiro e estamos a 500m da praia. E são esses 500m que temos de enfrentrar. A vacina é a praia. Até ela fazer efeito, temos de dar conta a esse recado", afirmou o governador.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade