Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Zema prepara anúncio de 'onda roxa', fase mais rígida do Minas Consciente

Governador e equipe da Secretaria de Saúde devem detalhar etapa na tarde desta quarta-feira (3/3)


03/03/2021 11:57 - atualizado 03/03/2021 15:13

Pandemia do novo coronavírus continua vitimando pessoas em Minas Gerais(foto: Leandro Couri/EM/D. A. Press)
Pandemia do novo coronavírus continua vitimando pessoas em Minas Gerais (foto: Leandro Couri/EM/D. A. Press)
O Governo de Minas Gerais deve lançar, na tarde desta quarta-feira (3/3), uma fase mais rigorosa do programa "Minas Consciente - retomando a economia do jeito certo" - projeto criado em abril de 2020 para coordenar o funcionamento das atividades econômicas e sociais nos municípios mineiros durante a pandemia.

A informação foi repassada ao Estado de Minas por ao menos três prefeitos que participaram de um encontro com o governador esta manhã. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) ainda não confirmou a novidade. 

A “onda roxa”, nome dado à nova etapa do programa, seria a mais restritiva. Segundo os prefeitos, a ideia é que a adesão seja facultativa.  Mais detalhes sobre a medida serão divulgados às 15h30 em entrevista coletiva concedida por Zema e o Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.  

"O que o governador nos falou e que deve anunciar, imagino, é que agora o estado criou um novo critério, que seria a onda roxa. E algumas regiões terão a onda roxa. Ele não falou que será o Triângulo Norte, mas a gente sabe que, pelos índices e dados que temos hoje, é uma das regiões mais sérias de Minas Gerais”, disse Renato de Carvalho (Republicanos), prefeito de Araguari, no Triângulo Mineiro. 

Até então, o Minas Consciente era composto de três "ondas": a vermelha, quando somente serviços considerados essenciais podem funcionar; a amarela, que contempla serviços não essenciais de baixo risco; e a verde, que inclui a liberação de atividades de alto risco de contágio. O programa já foi remodelado uma vez, em julho do ano passado.
 
A atualização da iniciativa ocorre após o avanço da pandemia no estado, sobretudo no interior. Nesta quarta, Minas registrou o segundo maior número de óbitos em 24 horas, com 227 vítimas. A maior taxa foi registrada há menos de um mês, em 10 de fevereiro, quando o novo coronavírus fez 243 vítimas em um só dia. 

A vacinação segue em ritmo lento. Ao todo, 635.176 pessoas foram vacinadas contra a doença, sendo que 274.501 receberam a segunda dose do imunizante. O Plano Nacional de Imunização (PNI) prevê a proteção de ao menos 10 milhões de mineiros. Ou seja: metade da população.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade