Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Prefeitura de Uberlândia mantém toque de recolher entre 20h e 5h

Decisão veio apesar de uma recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) feita às polícias para que ninguém seja preso


27/02/2021 13:52 - atualizado 27/02/2021 14:19

Além do toque de recolher, Prefeitura manteve lei seca(foto: Divulgação/Prefeitura de Uberlândia)
Além do toque de recolher, Prefeitura manteve lei seca (foto: Divulgação/Prefeitura de Uberlândia)
A Prefeitura de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, manteve o toque de recolher na cidade entre 20h e 5h, apesar de uma recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) feito às polícias para que ninguém seja preso. Em uma ação movida por um vereador suplente, a Justiça indeferiu pedido de suspensão do toque de recolher. O decreto vigente no Município ainda proíbe venda de bebida alcoólica.

A Polícia Civil declarou que vai acatar a recomendação e não ratificará qualquer prisão feita por descumprimento do toque de recolher e que a Polícia Militar afirmou que seguirá com trabalho de orientação e preventivo. O prefeito Odelmo Leão (PP), contudo, disse que não imagina que o decreto se torne inócuo. Ele elogiou o comando da PM e o trabalho desenvolvido na cidade.

“Temos acompanhado a situação de todo o país e de algumas cidades, que também partiram para medidas até mais restritivas que as nossas. Entendo que as medidas tomadas pelo comitê são todas acertadas e nós vamos mantê-las. Nosso compromisso é com a economia, sim, mas também é com a vida. Nesse momento, o maior risco é com a vida e iremos priorizá-la”, afirmou Leão.

O prefeito ainda disse que não descarta a possibilidade de endurecer ainda mais as regras de mobilidade e de atividades comerciais, caso os números da COVID-19 não baixem o suficiente para redução de ocupação de leitos e de mortes locais. Pela primeira vez ele citou a palavra "lockdown", como medida posterior a Uberlândia.

Ação
 
O vereador suplente Cristiano Caporezzo (Patriota) havia movido uma ação que apontava inconstitucionalidade sobre o toque de recolher na cidade. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais, entretanto, indeferiu o pedido de suspensão da medida para Uberlândia, em decisão do desembargador Corrêa Júnior. Ele afirmou que a decisão do município visava diminuir propagação do coronavírus e que a medida garantia livre trânsito à noite para medidas de emergência.

Caporezzo vai assumir uma cadeira na Câmara Municipal de Uberlândia no próximo mês, após a morte da vereadora titular, Drika Protetora (Patriota), por COVID-19.

Números
 
Uberlândia tem hoje mais de 140 pessoas internadas com COVID-19 aguardando transferência para uma UTI. O número aumentou 50% em apenas cinco dias. A ocupação de unidades de terapia intensiva local é de 96%, de acordo com último boletim municipal. Uberlândia tem 1.033 mortes e 67.780 casos confirmados da doença.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade