Publicidade

Estado de Minas AÇÃO HUMANITÁRIA

Uberaba é a 1ª cidade de MG a receber pacientes de Manaus com a COVID-19

Prefeita Elisa Araújo informou que 12 pacientes sairão da capital amazonense para serem recebidos em condições de leitos de enfermaria


23/01/2021 10:02 - atualizado 23/01/2021 10:38

A decisão do Executivo, em conjunto com o Legislativo, saiu depois de reuniões que começaram no início da tarde desta sexta-feira e terminaram à noite(foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba)
A decisão do Executivo, em conjunto com o Legislativo, saiu depois de reuniões que começaram no início da tarde desta sexta-feira e terminaram à noite (foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba)
Após pedido do Estado de Minas Gerais e uma longa reunião entre a Prefeitura de Uberaba, Comitê Técnico-Científico de Enfrentamento à COVID-19 e os vereadores, ficou decidido, já no final da noite desta sexta-feira (22/12), que o município receberá, na tarde deste sábado (23/01), 12 pacientes vindos de Manaus (AM), que foram infectados pelo novo coronavírus e que precisam, inicialmente, de leitos de enfermaria.

Todos serão encaminhados ao Hospital Regional, que volta a ser exclusivo para atender os casos da COVID-19. A cidade, segundo o último boletim epidemiológico da doença, tem ocupação de leitos de enfermaria pública em 17%, e privada em 29%, o que representa, ao todo, 27 pessoas. Já a ocupação de leitos de UTI da rede pública está em 40%, e a privada em 50%, o que representa 34 pessoas internadas em Uberaba.

Sem horário ainda definido, os pacientes de Manaus chegarão num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura de Uberaba. Do aeroporto, os pacientes serão transferidos diretamente para o Hospital Regional, em ambulâncias equipadas do estado que já estão mobilizadas. Atualmente, o hospital possui 143 leitos, sendo de 40 deles destinados para UTIs e 103 para enfermarias.

“No Hospital Regional, uma ala específica com 12 leitos de UTI foi destinada para receber os pacientes. A decisão do executivo, em conjunto com o legislativo, saiu depois de reuniões que começaram no início da tarde desta sexta-feira e terminaram à noite. Ao final, falou mais alto o caráter humanitário que envolve essa ação. Com a decisão, Uberaba passa a ser a primeira cidade de Minas Gerais a acolher pacientes vindos do Amazonas”, informou nota da assessoria de imprensa, enviada no final da noite desta sexta-feira (22/01).

A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo (Solidariedade), informou na manhã deste sábado (23/01), na Rádio JM, que, segundo informações dos estados do Amazonas e Minas Gerais, todos esses pacientes de Manaus, antes de saírem da cidade amazonense, estão em condições de enfermaria.

“Mas durante o voo eles podem ficar em estado grave. Por isso já temos preparada toda estrutura de UTI para recebê-los. Estamos acolhendo uma pequena parte de pessoas que precisam em Manaus; sabemos que são centenas que estão precisando de um melhor atendimento. Acredito que a gente fez pelo outro aquilo que gostaríamos que fizessem por nós”, considerou a prefeita de Uberaba.

Em vídeo postado em suas redes sociais, Elisa Araújo explicou que todos os pacientes não COVID, internados atualmente no Hospital Regional, serão transferidos para outras unidades de saúde de Uberaba. “Dessa forma, o Hospital Regional ficará exclusivo para tratamento da COVID-19, com capacidade garantida pelo estado para habilitar mais leitos”, disse Elisa.

Desde o início do colapso no sistema de saúde de Manaus, 214 pacientes já foram transferidos para outros estados. A estratégia faz parte de uma força-tarefa realizada por meio de uma cooperação interestadual, com o apoio do Ministério da Saúde e Força Aérea Brasileira (FAB). 

Até o momento, foram transferidos pacientes para os estados do Piauí (9), Maranhão (39), Paraíba (15), Rio Grande Norte (28), Goiás (32), Alagoas (14), Espírito Santo (36), Acre (3), Pará (23), e Distrito Federal (15).

A transferência é feita por meio de classificação de risco do protocolo de Manchester, que estabelece as prioridades de atendimento de acordo com a gravidade dos casos. Para ser transferido, o paciente deve apresentar sinais vitais (frequência cardíaca, respiratória e pressão arterial) estáveis, além de assinar um termo de consentimento.

O transporte aéreo é realizado em aeronaves de uso militar, adaptadas com equipamentos que garantam a estabilidade e segurança dos pacientes, sob responsabilidade da FAB.

Vivendo uma segunda onda da doença, Uberaba registra mais de 130 novos casos 

De acordo com último boletim epidemiológico, divulgado na noite desta sexta-feira (22/01), Uberaba registrou mais 130 novos casos, chegando a um total de infectados de 11.774. Nas ultimas 24h, não houve nenhuma morte. Ao todo são 263 óbitos causados pela doença. Desde o início da pandemia, Uberaba registrou 10.852 casos recuperados.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade