Publicidade

Estado de Minas MOBILIDADE E TURISMO

Minas planeja parceria para construção de teleférico na Serra da Piedade

Equipamento deverá beneficiar 500 mil visitantes por ano ao santuário de romarias


03/12/2020 18:01 - atualizado 03/12/2020 18:29

Dom Walmor presidiu missa na ermida do século 18, na presença do governador Romeu Zema e de outras autoridades(foto: Divulgação)
Dom Walmor presidiu missa na ermida do século 18, na presença do governador Romeu Zema e de outras autoridades (foto: Divulgação)
Uma parceria com a concessionária da rodovia BR-381, que liga São Paulo (SP) a Vitória (MG) e corta a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), está nos planos do governo de Minas para pôr em prática o projeto de construção de um teleférico ligando a base da Serra da Piedade, em Caeté, ao topo do maciço.

A boa nova, na semana em que Minas comemora o tricentenário da organização política e administrativa do estado, foi apresentada na tarde desta quinta-feira (3), pelo governador Romeu Zema, ao arcebispo metropolitano de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo.

O projeto da Arquidiocese de BH foi enviado, no ano passado, ao governo estadual e ao Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), criando o equipamento para levar fiéis e turistas até o santuário - por ano, são cerca de 500 mil peregrinos de todos os cantos do país.

A fim de favorecer o turismo e oferecer alternativa à perigosa rodovia BR-381 no sentido Vitória (ES), a Arquidiocese de BH elaborou o projeto mais amplo para ligar, por trem, a capital a Sabará e Caeté, com uma estação aos pés do maciço que guarda duas basílicas – no altar-mor da ermida do século 18, fica a imagem de Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas, esculpida por Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814). O teleférico está no final, levando peregrinos de todas as idades, no trajeto de oito quilômetros.

Tricentenário

Para comemorar os 300 anos de Minas Gerais, com as bênçãos da padroeira do estado, Nossa Senhora da Piedade, dom Walmor presidiu missa na ermida do século 18, na presença do governador Romeu Zema, do vice-governador, Paulo Brant, dos prefeito de Caeté, Lucas Coelho, e de Sabará, Wander Borges, e outras autoridades. 

Na celebração, destacou as riquezas, as belezas, a história e a fé cristã que são características de Minas Gerais. "Características que fazem de Minas uma nação", disse dom Walmor. 
 
Autoridades presentes na missa realizada por Dom Walmor(foto: Divulgação)
Autoridades presentes na missa realizada por Dom Walmor (foto: Divulgação)

 
O arcebispo lembrou que a história tricentenária de Minas é alicerce para construir um tempo novo: "Com tudo que Minas tem é possível vencer as muitas desigualdades sociais".

O governador Romeu Zema, que antes da missa admirou o horizonte de montanhas e cidades, visto do todo do maciço, explicou que o governo mineiro é "servidor e não senhor" e agradeceu o trabalho de sua equipe. Zema pediu para que Deus ilumine Minas Gerais. "É um governo de missionários e não de mercenários". 

O vice-governador Paulo Brant reafirmou que Minas tem características de uma nação e disse que o governo trabalha para que todos tenham cada vez mais liberdade, enfrentando situações de injustiça. 
 
Na conclusão das celebrações pelos 300 anos de Minas Gerais, o governador e as autoridades rezaram a consagração a Nossa Senhora da Piedade - Padroeira de Minas Gerais, voltados para a imagem da Padroeira, do século 18, obra de Aleijadinho.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade