Publicidade

Estado de Minas Violência

Itamaraty acompanha apuração de morte de estudante mineiro no Paraguai

Corpo de Paulo Rezende Vilela Neto foi encontrado carbonizado dentro de um carro


23/11/2020 17:05 - atualizado 23/11/2020 17:26

Paulo Rezenda Vilela Neto foi encontrado morto no Paraguai(foto: Reprodução/Instagram)
Paulo Rezenda Vilela Neto foi encontrado morto no Paraguai (foto: Reprodução/Instagram)
O Ministério das Relações Exteriores acompanha atentamente, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Assunção, no Paraguai, as investigações sobre a morte do estudante de medicina Paulo Rezenda Vilela Neto, de Uberaba, no Triângulo Mineiro, assassinado há 12 dias. Seu corpo foi encontrado carbonizado dentro de um porta-malas de um veículo, que foi incendiado.

Em nota oficial, o Itamaraty informa que presta toda a assistência legal e materialmente possível aos brasileiros naquele país, respeitando os tratados internacionais vigentes e a legislação local, conforme estabelecido pela Convenção de Viena sobre Relações Consulares, o Regimento Interno da Secretaria de Estado das Relações Exteriores e o Manual de Serviço Consular e Jurídico do Itamaraty.

Por se tratar de óbito de cidadão brasileiro no exterior, como parte do serviço de assistência a nacionais, as embaixadas e os consulados brasileiros prestam aos familiares orientações gerais, facilitam a expedição de documentos (atestado de óbito, por exemplo) e auxiliam em contatos com autoridades locais.

Como a morte de Paulo aconteceu em circunstâncias suspeitas, a assistência consular também inclui o acompanhamento das investigações junto às autoridades locais.

Não existe, segundo o órgão, uma previsão legal e orçamentária que permita ao governo brasileiro custear valores referentes ao sepultamento local ou ao traslado para o Brasil de restos mortais de cidadãos brasileiros falecidos no exterior.

A família vive a expectativa da chegada dos restos mortais de Paulo, que será cremado, mas ainda sem data definida e, também, sobre os esclarecimentos acerca do crime, com a prisão dos culpados e se tomar conhecimento dos motivos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade