Publicidade

Estado de Minas MINAS CONSCIENTE

Após breve volta para Onda Amarela, Triângulo Sul retorna para a Onda Verde

Segundo a Secretária Estadual de Saúde, estabilidade da pandemia no estado foi a causa da volta da flexibilização de, por exemplo, atividades artísticas, cinema, parques, entre outros


29/10/2020 10:00 - atualizado 29/10/2020 12:09

11 das 14 macrorregiões de saúde estão na categoria mais avançada do plano Minas Consciente(foto: Agência Minas)
11 das 14 macrorregiões de saúde estão na categoria mais avançada do plano Minas Consciente (foto: Agência Minas)
Vermelho, amarelo, verde, amarelo e agora verde. Região Triângulo Sul vai retornar para a onda verde do Minas Consciente neste sábado (31).

A volta foi autorizada pelo governo estadual devido à estabilidade da pandemia da COVID-19 no estado. No último dia 21, a região havia regredido para a Onda Amarela após o Comitê Estadual de Combate à COVID-19 identificar uma piora nos indicadores da doença.
 
A nova mudança foi deliberada nessa quarta-feira (28) pelo Comitê Extraordinário COVID-19. De acordo com a Agência Estado, cerca de 80% do estado, o que representa 11 das 14 macrorregiões de Saúde, estão incluídas na onda verde, a mais avançada do plano. A redução de 16% da incidência da doença nos últimos 14 dias contribuiu para esse cenário.
 
O secretário de Estado de Saúde (SES-MG), médico Carlos Eduardo Amaral, declarou que, além da redução da incidência da doença no estado, uma tendência de estabilidade da ocupação dos leitos permitiram o retorno para a onda verde.  “É uma ocupação que está inferior a 60% há dez dias e vem se mantendo assim. E vemos que a participação da COVID-19 nessa ocupação representa 20% dos leitos. É uma situação equilibrada”, destacou o secretário.

Segundo informações do programa Minas Conscientes, na onda verde estão liberados o funcionamento de teatro, cinemas, parques e feiras, por exemplo, a partir do cumprimento de protocolos sanitários com rígidas orientações sobre distanciamento social e práticas de higiene, como uso de máscara e álcool em gel.
 
As macrorregiões Nordeste, Triângulo do Norte e Leste do Sul permanecem na onda amarela, estágio intermediário para retomada de atividades, com abertura de bares, restaurantes e academias. Nenhuma região está na onda vermelha, a mais rígida, com permissão apenas para funcionamento dos serviços essenciais, como supermercados e farmácias.
 

Nada muda para Uberaba e Uberlândia 
 

Por outro lado, a nada mudou para Uberaba e Uberlândia, também situados no Triângulo Sul, já que a cerca de um mês iniciou as flexibilizações de suas atividades econômicas após o Supremo Tribunal Federal (STF) determinar que os municípios não são obrigados a aderirem ao Minas Consciente. A decisão foi do ministro Alexandre de Moraes a pedido das prefeituras do estado. Ele considerou a medida firmada em julho deste ano como inconstitucional, derrubando a decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que obrigava os municípios mineiros a seguirem as regras do Minas Consciente.

As novas medidas de distanciamento e eventos do Minas Consciente


A Agência Minas informa que outra mudança que passa a valer para o plano Minas Consciente a partir deste sábado (31) é sobre as medidas obrigatórias de distanciamento em eventos. Pela nova regra aplicada à Deliberação 17, a distância para cada pessoa deve ser de 10 m² em eventos fechados e de 4 m² em eventos abertos. Em ambos os casos, o número máximo de presentes permitido por evento é de até 500 pessoas. As autorizações para eventos são válidas apenas para a onda verde, sendo que todos os protocolos de proteção, que incluem o uso de máscara e álcool em gel, são obrigatórios.

No dia 1 de dezembro, o Comitê Extraordinário Covid-19 irá analisar o impacto da mudança e, caso seja necessário, poderá propor novas alterações. “Embora tenhamos um número total maior de pessoas permitidas, quando falamos em 10m² de distanciamento por pessoa em ambientes fechados reduzimos consideravelmente o número de pessoas que poderiam frequentar eventos neste primeiro mês, que é considerado um primeiro passo para o setor. Com muito cuidado e equilíbrio, vamos tentar dar um primeiro passo neste mês para aquecer o setor”, finalizou o secretário estadual de Saúde, Carlos Amaral.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade