Publicidade

Estado de Minas

Incêndio na Serra do Cipó chega ao décimo dia com dois pontos de atenção

Pela manhã, um dos focos ameaçava sair do controle. Outro está situado em encostas de desfiladeiros, o que dificulta o acesso


06/10/2020 11:35 - atualizado 06/10/2020 19:22

Chamas na região da Serra da Caetana, área da Serra do Cipó(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Chamas na região da Serra da Caetana, área da Serra do Cipó (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)


O incêndio que atinge o Parque Nacional da Serra do Cipó, em Santana do Riacho, na Grande BH, completa 10 dias. O combate ao fogo envolve mais de 100 pessoas e tem dois pontos de atenção onde a situação é mais complexa. 

De acordo com o boletim do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), divulgado às 10h, a distribuição das equipes nos diversos pontos de combate começou às 6h, após um sobrevoo para averiguar a situação. Além do helicóptero, há cinco aviões usados no combate. 


Às 8h30, eles perceberam que o foco no setor Cânion das Bandeirinhas havia voltado a ganhar forças e ameaçava sair do controle. Bombeiros, brigadistas e voluntários fizeram um grande esforço no local e as aeronaves fizeram lançamentos de água sobre as chamas. Um helicóptero também é usado para reposicionar os combatentes nas novas linhas que surgem. Uma hora depois, os brigadistas ainda atuavam no combate direto às chamas no cânion. O setor era prioritário para o combate aéreo. 

Mapa mostra localização dos focos encontrados nesta terça(foto: ICMBio/Divulgação)
Mapa mostra localização dos focos encontrados nesta terça (foto: ICMBio/Divulgação)


O segundo local onde a situação era complicada é o Alto Palácio. “Chamas se localizam em encostas e desfiladeiros do Vale do Rio do Peixe, impedindo uma operação segura de combate direto às chamas. Lançamentos de água estão sendo feitos para resfriar o setor. Os combatentes atacam as chamas toda vez que elas ressurgem nas margens do desfiladeiro. Essa operação exige concentração, paciência e muita atenção à segurança, mas os combatentes estão conseguindo manter o setor sob controle”, informou o ICMBio.

Na edição do Estado de Minas desta terça, a reportagem mostrou que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) computou 1.470 focos ativos no estado somente neste começo de outubro – 53,8% da média histórica para o mês inteiro. Vale ressaltar que o balanço do Inpe diz respeito ao dia anterior, portanto o último domingo, ainda no quarto dia do mês. Para efeito de comparação, em igual período de outubro de 2019, o Inpe computou 246 focos ativos em Minas, ou seja, houve um crescimento de 497,5% no mês até agora.

Serra da Moeda


Fogo na Serra da Moeda nessa segunda(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Fogo na Serra da Moeda nessa segunda (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Ontem de madrugada, segundo os bombeiros, havia uma linha de fogo de 6 quilômetros em um terreno de difícil acesso na Serra da Moeda, também na Grande BH. 

Com o uso de abafadores, bombas costais e sopradores, bombeiros e brigadistas controlaram as chamas por volta das 10h30. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade