Publicidade

Estado de Minas INCÊNDIO

Após devastação na Serra do Cipó, focos de incêndio também assustam moradores de Lagoa Santa

Incêndio de grandes proporções foi registrado às margens da rodovia MG-10, próximo ao Km 54, na Grande BH. Caminhão-pipa evitou destruição de imóveis


29/09/2020 19:50 - atualizado 02/10/2020 09:23

Fogo atingiu área comercial e residencial próxima à rodovia(foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)
Fogo atingiu área comercial e residencial próxima à rodovia (foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)

Vários focos de incêndio que começaram há três dias na Serra do Cipó ameaçam residências e estabelecimentos na noite desta terça-feira, às margens da rodovia MG-10, próximo ao Km 54, nas imediações de Lagoa Santa, Região Metropolitana de BH.

Moradores e proprietários estão desesperados com o prejuízo e reclamam da demora da chegada do Corpo de Bombeiros. Uma casa e estabelecimentos comerciais só não foram consumidos porque um caminhão-pipa chegou ao local. 
 
Os próprios moradores combateram as chamas com baldes. 
 
Ver galeria . 44 Fotos O incêndio que começou há três dias na Serra do Cipó atingiu residências e estabelecimentos na noite desta terça-feira, às margens da Rodovia MG-10, próximo ao km 54, nas imediações de Lagoa SantaLeandro Couri/EM/D. A. Press
O incêndio que começou há três dias na Serra do Cipó atingiu residências e estabelecimentos na noite desta terça-feira, às margens da Rodovia MG-10, próximo ao km 54, nas imediações de Lagoa Santa (foto: Leandro Couri/EM/D. A. Press )
 
Tânia Lúcia Moreira Estevão, moradora e proprietária de um restaurante e de uma floricultura na localidade de Jaguara, conhecida também como Campo Alegre, falou com a reportagem do Estado de Minas.


"Eu já tinha acionado os bombeiros, mas eles não vieram. Eu tinha esperança que (o fogo) não daria continuidade, quando pensei que não alastrou tudo. Aqui é tudo nosso. Uma marmoraria de uma amiga minha, minha casa e meu restaurante e uma floricultura do meu cunhado", contou.

Ela seguiu, relatando o ocorrido. “Hoje reacendeu e de repente alastrou aí para cima agora à tarde. Meu filho já tinha acionado o Corpo de Bombeiros por volta das 17h e eles não vieram".
 
A reportagem registrou o contato de Tânia com o Corpo de Bombeiros

“Estou aqui na Jaguara, Sentido Serra do Cipó. Nós chamamos vocês desde mais cedo. Ninguém veio ate agora. Tá queimando tudo. Estou na Rodovia MG-10, km 54. Misericórdia! Vem depressa tá queimando tudo. Meu filho que chamou vocês. Aqui também é conhecido como Campo Alegre. Tá pegando fogo em tudo, na floricultura, no meu restaurante e vem para minha casa. Caminhão já queimou. Meu filho já chamou tem um tempão e ninguém veio! Vê aí o que vocês podem fazer por gentileza”, pediu a moradora à atendente da corporação.

Em nota, o Corpo de Bombeiros Militar respondeu sobre o relato de demora no atendimento aos moradores:

"É importante esclarecer que o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais está combatendo incêndios em todas as regiões do estado no dia de hoje. Somente na região metropolitana de Belo Horizonte há 16 chamadas de incêndio florestal em andamento.

 Alguns desses incêndios são de grandes proporções, demandando, portanto, uma importante estrutura que inclui o empenho de dezenas de militares, viaturas e equipamentos. Além disso, o forte calor, os ventos comuns da estação e a dificuldade geográfica tornam o combate ainda mais demorado e difícil.

Assim sendo, é razoável que algum atraso possa ocorrer. Contudo, o CBMMG permanece empenhado em atender todas as ocorrências, considerando o critério de priorização de atendimento aos casos que oferecem maior risco para vida dos moradores da região."


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade