Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Igreja da Pampulha, Cidade Administrativa e Santa Casa passam por desinfecção

Desde agosto, Batalhão de Defesa Química do Exército promove ação de desinfecção de áreas públicas em Minas Gerais


24/09/2020 17:32 - atualizado 24/09/2020 18:48

Militares realizam desinfecção da área externa da Igreja da Pampulha (foto: Comando da 4a Região Militar/Divulgação)
Militares realizam desinfecção da área externa da Igreja da Pampulha (foto: Comando da 4a Região Militar/Divulgação)
O Complexo Arquitetônico da Pampulha passou, na manhã desta quarta-feira, por processo de desinfecção com cloro e detergentes, dentro das medidas de combate ao novo coronavírus em Belo Horizonte. O trabalho foi feito pelo Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (Btl DQBRN) do Exército em Minas. Ações semelhantes ocorreram também na Cidade Administrativa, nessa terça (22) e na Santa Casa de Misericórdia, nessa quarta (23). 

A iniciativa, que começou em agosto, percorreu mais de 6 mil quilômetros, segundo informações do Comando Conjunto Leste da 4a Região Militar. Foram beneficiados cerca de 7 milhões de mineiros em Contagem, Betim, Montes Claros, Ipatinga, Governador Valadares, Teófilo Otoni e Juiz de Fora.  
 
Municípios como Nova Lima, Santa Luzia e Ribeirão das Neves receberão, pela primeira vez, a desinfecção de áreas públicas feita por profissionais especializados do Btl DQBRN. Em municípios já beneficiados na primeira etapa da açãonovas áreas de grande circulação de pessoas passarão pelo mesmo processo.

De acordo com o major Leonardo Martins Ribeiro, oficial de planejamento do Centro de Controle de Operações da 4ª Região Militar, as cidades foram escolhidas com base nos dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

São escolhidas as cidades com maiores índices de casos e mortes relacionadas à COVID-19. Já os locais dentro de cada município são escolhidos em conjunto com as secretarias de Saúde estadual e municipais. No caso da Cidade Administrativa, levou-se em consideração a presença de milhares de servidores no complexo. 
 
Para descontaminar os locais, os militares usam o microbicida BX24, um produto a base de cloro e detergentes, que possui ação eficaz contra o coronavírus e  bactérias. Além disso, o produto não é tóxico para pessoas, após a sua aplicação.
 
“O emprego do Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear em Minas Gerais está contribuindo com o esforço no combate ao coronavírus, uma vez que no final de agosto observou-se o início da redução dos índices da curva pandêmica. Além disso, observamos menores taxas de ocupação de leitos, que é outro indicador de que a missão está sendo bem cumprida”, conta o major Martins Ribeiro.

Histórico


O 1º Btl DQBRN é uma organização militar que surgiu da evolução e transformação da 1ª Companhia de Guerra Química criada em 1953 no Rio de Janeiro. Já atuou no Brasil em outras situações como no acidente com o Césio 137, em Goiânia, em 1987, nos Jogos  Mundiais Militares, Jornada  Mundial da Juventude, Copa do Mundo e Olimpíadas


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade