Publicidade

Estado de Minas EMPREGOS

Ambev inaugura fábrica pioneira de latas e tampas em Sete Lagoas

Aumento no consumo de bebidas em lata levou a empresa a se lançar no segmento, que terá 75% do alumínio reciclado


24/09/2020 17:13 - atualizado 24/09/2020 17:32

Nova fábrica deve produzir 1,5 bilhão de latas por ano e empregar 350 pessoas(foto: Ambev/Divulgação)
Nova fábrica deve produzir 1,5 bilhão de latas por ano e empregar 350 pessoas (foto: Ambev/Divulgação)
Desde o ano passado que o consumo de bebidas em lata vem crescendo. Segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Latas de Alumínio (Abralatas), o setor registrou crescimento de 13,7% em 2019, frente ao ano anterior.

E, em 2020, o crescimento deve ser ainda maior, em virtude do aumento do consumo por conta da pandemia, que obrigou muita gente a ficar em casa e, consequentemente, a optar pelo consumo de bebidas em latas, mais frequente nos supermercados. Em 2009, as latas representavam 32% do mercado de cerveja e, neste ano, devem passar de 50%. Ao todo, as quatro fabricantes de latinhas instaladas no Brasil venderam 29,6 bilhões de unidades no ano passado, de acordo com a Abralatas.

Para se juntar a esse cenário em expansão, a Ambev deu início nesta quinta-feira (24) à operação de sua primeira fábrica de latas, localizada em Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a primeira de uma indústria de bebidas no país.

O investimento foi de mais de R$ 700 milhões na construção da fábrica de latas e tampas, que permitirá à Ambev levar aos mineiros uma bebida produzida, desde a receita até a embalagem, 100% em Minas Gerais. A unidade tem capacidade de produção de 1,5 bilhão de latas por ano.

Alumínio reciclado

Construída em uma área de 45 mil metros quadrados, a unidade abriga duas linhas de produção de latas, uma linha de tampas e funcionará com energia 100% renovável. Além disso, todo o alumínio usado na produção da fábrica é nacional, sendo que 75% é reciclado.

“Há um ano, quando começamos a construir essa nova unidade, queríamos aumentar nossa capacidade. Era um projeto olhando o longo prazo. Assim que vimos a alta demanda por latas, aceleramos as obras para conseguir atender a essa demanda crescente”, disse Mauricio Soufen, vice-presidente fabril da Ambev, lembrando que a nova unidade está gerando cerca de 350 empregos diretos.

Economia sustentável

A sustentabilidade é um dos seus principais pilares da lata de alumínio para conquistar o mercado de bebidas. Atualmente, o Brasil possui uma das maiores taxas de reciclagem do mundo, com 97,3%. 

“O desafio aqui é aumentar o envolvimento do consumidor nessa causa. Acredito que a lata tem uma grande sinergia com a geração que está alcançando o poder de compra. Com esse crescimento potencial, prevejo um mercado em expansão dentro de cinco anos, com uma ampla gama de produtos, mais unidades fabris e o mais importante de tudo, a população o reconhecerá como o pacote mais sustentável do planeta”, analisa o presidente executivo da Abralatas, Cátilo Cândido.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade