Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Casa Branca, em Brumadinho, registra aglomeração de pessoas neste domingo

Proprietária de restaurante afirma que estabelecimento registrou fila de clientes, um reflexo da flexibilização adotada por Belo Horizonte


06/09/2020 22:24 - atualizado 06/09/2020 22:57

Fila de carros se formou em Brumadinho neste domingo (6)(foto: Reprodução/WhatsApp)
Fila de carros se formou em Brumadinho neste domingo (6) (foto: Reprodução/WhatsApp)

 

Não é só na capital mineira que os reflexos da reabertura dos bares e restaurantes com venda de bebidas alcoólicas resultaram em aglomeração de pessoas. Em Casa Branca, distrito de Brumadinho, na Grande BH, houve congestionamento e fila em restaurante neste domingo (6).

 

De acordo com a proprietária de um restaurante localizado na comunidade rural, houve fila de clientes no estabelecimento. Ela teme a necessidade de fechar novamente o seu negócio pelo risco de proliferação do novo coronavírus.

 

“Casa Branca estava lotada, com congestionamento. Estamos trabalhando com 30% de capacidade e tivemos uma fila na porta de 217 pessoas. Tenho medo, pois as pessoas não estão respeitando. Acham que voltamos à vida normal, sem risco de contaminação”, denuncia Denísia Maia, proprietária do Restaurante Ao Pé Do Jatobá.

 

“Aqui nas ruas, a maioria das pessoas (estão) sem máscaras. Tenho medo de ter que fechar tudo de novo”, completa a empresária.

 

Houve fila de carros no caminho para a Cachoeira da Jangada, também localizada em Casa Branca. Um vídeo gravado por um morador mostra a situação.

 

 

 

“Vamos ver semana que vem como vai estar o índice de coronavírus em Brumadinho. Não tem nem lugar de passar direito. Não é só gente de fora, tem muito carro de Brumadinho aqui”, reclama o homem responsável pela gravação.

 

Proprietária do Restaurante Abóbora, em Casa Branca, Carmelita Chaves contou com foi o dia de trabalho caótico neste domingo. 


"Parece que o povo está querendo tirar um mofo de cinco meses fechado. Foi enlouquecedor, porque as pessoas lotaram Casa Branca. O trânsito não conseguia fluir e as pessoas foram ficando nervosas com essa situação, com todos os locais lotadíssimos. Fiquei muito feliz (com a reabertura), pena que eu trabalhei tanto e não consegui atender a todos (de maneira satisfatória)", afirma a empresária. 

 

Ela ressalta a dificuldade para conseguir mão de obra após precisar demitir os funcionários durante o período da pandemia. 

 

De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde neste domingo (6), Brumadinho computa 869 casos confirmados e 10 mortes pela COVID-19.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade