Publicidade

Estado de Minas SUL DE MINAS

Incêndio após queda de balão consome 15 hectares de vegetação em Delfim Moreira

Parte do balão atingiu a rede elétrica e o fornecimento precisou ser interrompido para o trabalho dos bombeiros; testemunhas viram pessoas desconhecidas no local em carros com placas de São Paulo


31/08/2020 13:08 - atualizado 31/08/2020 14:37

Parte do balão atingiu a rede elétrica (foto: CBMMG)
Parte do balão atingiu a rede elétrica (foto: CBMMG)
A queda de um balão provocou incêndio em uma fazenda em Delfim Moreira, no Sul de Minas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o caso aconteceu na tarde desse domingo (30), e o fogo consumiu cerca 15 hectares de vegetação no Bairro Vargem Grande.

 

Balão tem aproximadamente 40 metros de comprimento(foto: CBMMG)
Balão tem aproximadamente 40 metros de comprimento (foto: CBMMG)
Segundo os bombeiros, o balão tem aproximadamente 40 metros de comprimento. Parte dele atingiu a rede elétrica e o fornecimento precisou ser interrompido. “O combate às chamas durou mais de duas horas. Os militares precisaram acionar os técnicos da Cemig para desligar a energia no local. O fornecimento foi reestabelecido após os trabalhos”, diz Corpo de Bombeiros de Itajubá.

 

Fogo consumiu cerca de 15 hectares de vegetação(foto: CBMMG)
Fogo consumiu cerca de 15 hectares de vegetação (foto: CBMMG)
Segundo o Corpo de Bombeiros, testemunhas disseram que antes da chegada da guarnição, nove carros e pessoas desconhecidas invadiram a fazenda. O grupo teria ido até a estrutura de ferro do balão e retirado um equipamento digital do interior. Essas pessoas não souberam informar detalhes das placas dos veículos. Apenas disseram que as placas eram de São Paulo. O balão teria sobrevoado a área desde a última sexta-feira (28)”, completa.

 

Parte da estrutura foi danificada para não ser recuperada(foto: CBMMG)
Parte da estrutura foi danificada para não ser recuperada (foto: CBMMG)
A Polícia Militar também foi acionada, mas como os infratores não foram identificados, a estrutura não foi apreendida. “Parte da estrutura foi danificada para não ser artefato de recuperação caso retornassem para o local. A carcaça ficou a cargo do proprietário, que foi orietado a procurar a PM se soubesse de algum detalhe”, trecho do Boletim de Ocorrência registrado pelo Corpo de Bombeiros.

 

Segundo a polícia, fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndio em florestas é crime. Se os infratores forem identificados podem ser punidos com multa ou detenção de três anos.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade