Publicidade

Estado de Minas Tráfico

Skunk chega a BH, mas polícia apreende a droga antes de ser comercializada

Droga é considerada duas vezes mais forte que a maconha e seu custo é cinco vezes maior


27/08/2020 16:23 - atualizado 27/08/2020 17:07

Polícia Civil começou as investigações em 19 de agosto para chegar até os criminosos(foto: Policia Civil/Divulgação)
Polícia Civil começou as investigações em 19 de agosto para chegar até os criminosos (foto: Policia Civil/Divulgação)

Desarticular uma quadrilha que trafica drogas, em especial skunk, com atuação na Grande BH, é o mais novo desafio da Polícia Civil mineira, que detectou e apreendeu 25 quilos da droga. O skunk é uma espécie geneticamente modificada da maconha, com valor de mercado, no mínimo, cinco vezes maior e considerada duas vezes mais forte. Foram três operações distintas que apreenderam, no total, 180 quilos de maconha pura. Sete pessoas foram presas, duas delas em flagrante.
 
Segundo o chefe do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), delegado-geral Júlio Wilke, a apreensão mostra uma inovação das organizações criminosas especializadas no tráfico de drogas. “É a primeira vez que o Denarc apreende o skunk na modalidade prensada. Isso demonstra que esse tipo de entorpecente está sendo produzido e comercializado em larga escala.”

A informação de que um carregamento de quatro toneladas de drogas chegaria à capital deu início às investigações, em 19 de agosto, segundo o delegado Rodolpho Machado, que participou da estratégia policial. Os policiais tomaram conhecimento da comercialização da droga em larga escala, no Bairro Cidade Nova, quando foram apreendidos três quilos de skunk.

“Na ocasião, conseguimos prender dois suspeitos. Um se passava por motorista de aplicativo e o outro, que pertence a uma família com mais recursos financeiros, filho de um médico, que fazia a ponte entre o fornecedor do aglomerado com outros traficantes de atacado da Zona Sul”, informa Machado.

Outro delegado que também está participando da operação, Daniel Araújo explica que em 24 de agosto, os policiais do Denarc apreenderam significativa quantidade de maconha em Ribeirão das Neves. “Não efetuamos a interceptação durante a remessa, mas conseguimos estourar um local onde parte da droga estava estocada, e apreender 180 quilos de maconha e 20kg de skunk.”

Na última terça-feira (25), os policiais do Denarc apreenderam outros dois quilos de skunk, no Bairro Jardim Montanhês, também em Belo Horizonte. O objetivo da polícia, agora, é identificar outros integrantes da quadrilha e desarticulá-la, assim como interromper a chegada da droga não só à capital mineira, mas também em Minas Gerais.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade