Publicidade

Estado de Minas TEMPO

BH bate recorde de frio no ano nesta quarta, com 7,7°C

Em regiões mais elevadas e com maior presença de vegetação, sensação térmica chegou a índices negativos; temperaturas baixas continuam até, pelo menos, sexta-feira


26/08/2020 08:31 - atualizado 26/08/2020 09:40

Amanhecer com céu limpo na capital mineira(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
Amanhecer com céu limpo na capital mineira (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
A capital mineira bateu nesta quarta-feira (26) o recorde de madrugada mais fria do ano. Entre 5h e 6h da manhã, os termômetros na estação de medição do Cercadinho, no bairro Santa Lúcia, bateram a casa dos 7,7°C. Com fortes rajadas de vento, a sensação térmica chegou a índices negativos.
 
O recorde anterior era do dia 29 de maio, quando os termômetros chegaram a 8,3°C.  
 
O recorde é mais um reflexo da massa de ar polar que atua na região desde a semana passada. A previsão para esta quarta é de céu aberto, com poucas nuvens, ao longo de todo o dia. As máximas na capital não devem ultrapassar os 25°C.  
 
"A previsão é que esse frio continue até pelo menos a madrugada de sexta-feira (28). Apesar disso, as temperaturas mínimas devem subir gradativamente até lá e as máximas devem ficar estáveis. Isso mostra que a massa de ar polar ainda está atuando, mas perdendo força", explica Anete Fernandes, meteorologista do 5º Distrito do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).
 
Para esta quinta (27), a previsão é que os termômetros na capital marquem entre 11°C e 26°C. No final de semana, as temperaturas devem ficar entre 13°C e 27°C. 

A sensação de frio, entretanto, dá trégua ao longo do dia. "Por conta do tempo aberto, seguiremos com as altas amplitudes térmicas, ou seja, grandes diferenças entre as temperaturas mais altas e mais baixas. Continuaremos com temperaturas mais amenas durante a noite e a madrugada e uma maior sensação de calor no período da tarde", completa Anete.
 

Frio de "bater o queixo" 

 
Entre 5h e 6h da manhã desta quarta, os ventos nas regiões mais elevadas e com maior vegetação - como é o caso dos bairros Olhos D'Água, Belvedere, Buritis e demais proximidades de Nova Lima - chegaram a 50km/h, capaz de movimentar árvores de grande porte e de intensificar a sensação de frio. Por isso, a sensação térmica em alguns locais menos urbanizados pode ter chegado a índices abaixo de zero. 

"Essa sensação térmica negativa geralmente é sentida em regiões inabitadas, que são altas e têm mais vegetação. É uma condição bem atípica para outras estações de medição em regiões habitadas, como Santo Agostinho e Pampulha", explica a meteorologista.
 
Na estação de medição da Pampulha, a mínima registrada nesta quinta foi de 8,5°C, entre 6h e 7h, mantendo uma tendência de estabilidade. As rajadas de vento mais fortes tiveram velocidade máxima de 15km/h. 


*Estagiário sob atualização do subeditor Frederico Teixeira


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade