Publicidade

Estado de Minas

Quase quatro mil árvores já foram suprimidas em BH neste ano

Nesta segunda-feira foi retirada mais um espécime de grande porte na Praça Raul Soares. Serviço foi executado pelo Corpo de Bombeiros


25/08/2020 10:37 - atualizado 25/08/2020 11:05

Nesta segunda, uma árvore foi retirada da Praça Raul Soares por risco de cair sobre pedestres(foto: Evandro Oliveira/Divulgação)
Nesta segunda, uma árvore foi retirada da Praça Raul Soares por risco de cair sobre pedestres (foto: Evandro Oliveira/Divulgação)
Mais uma árvore de grande porte foi suprimida ontem na Praça Raul Soares, na Região Central de Belo Horizonte. Segundo a prefeitura, a execução do serviço foi do Corpo de Bombeiros, que geralmente é acionado quando há riscos iminentes de queda ou acidentes. A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) informou que as solicitações de podas e supressões de árvores são criteriosamente avaliadas pelas gerências regionais de manutenção para que o atendimento possa ser realizado de forma adequada.

A assessoria do Corpo de Bombeiros informou que uma equipe foi chamada no domingo (23) pela Guarda Municipal da capital para que apoiasse a remoção de galhos de um árvore que se quebrou parcialmente. A BHTrans também foi acionada para sinalizar o local. Diante do risco iminente de queda, a coporação precisou retirar a árvore do local. 
 
Segundo a Sudecap, até 31 de julho foram realizadas 12.876 podas e 3.771 supressões. O investimento previsto na execução desses trabalhos para o ano de 2020 é de R$ 18,6 milhões, incluindo a conservação. A superintendência explicou que são priorizadas as podas e supressões de árvores condenadas ou que possam representar riscos de causar danos humanos ou materiais "e que já possuam laudos indicando a supressão, com eminente risco de queda. Nos casos de interferência com as redes de eletricidade, a Cemig precisa ser acionada e o trabalho tem que ser feito em conjunto", informou a assessoria de imprensa da prefeitura.
 
Em 2019, foram executadas mais de 37 mil podas e 10,5 mil supressões. O investimento foi de aproximadamente R$ 15 milhões. Em 2018 foram investidos cerca de R$ 11 milhões nestes serviços, com 47.870 podas de árvores e 10.122 supressões feitas. Já em 2017, foram R$ 4 milhões investidos, com 16.445 podas e 3.041 supressões. 
 
Segundo os bombeiros, são as seguintes situações em que suas equipes devem ser acionadas: Quando a árvore oferecer perigo de cair e atingir pessoas, animais, casas ou veículos e quando já estiver caída e gerar risco às pessoas e transtornos ao trânsito.
 
Embora não sejam situações de risco, há casos em que os bombeiros atuam por falta de outros órgãos técnicos para realizar o serviço ou quando a árvore é de grande porte. "Um exemplo comum é a poda de palmeiras mediante pedido de órgãos públicos. Nesses casos, a instituição deve obter uma autorização da Prefeitura antes de solicitar o corte ou poda, que fará uma vistoria para avaliar a situação da árvore. Caso seja constatado o risco iminente, o serviço será executado."

TÉCNICA
 
Os bombeiros advertem que corte e a poda de árvores é um serviço extremamente técnico e de alto risco e requer treinamento para a atividade. "Jamais tente realizar o trabalho sozinho e nem corte árvores sem autorização. Ligue para o 193 somente nos casos especificados acima, pois caso a viatura chegue ao local e constate ser apenas um corte ou poda sem risco, o pedido não será atendido e os bombeiros deixarão de prestar outros atendimentos de urgência e emergência".
 
Iluminação pública - Moradores das imediações da Praça Raul Soares reclamam sobre serviço de iluminação precário, com várias lâmpadas queimadas, mas o que chama a atenção é que alguns postes estão com as luzes acesas, 24 horas, desde a semana passada. 
 
Em relação à iluminação a assessoria da PBH informou que  "não existe chamado para manutenção no local indicado. Mas uma equipe de supervisão será enviada ao local para avaliar a situação e características de manutenção necessária. Caso seja constatado o problema, a equipe realizará o reparo."
 
A prefeitura recomenda que problemas na rede de iluminação pública devam ser informados e a manutenção solicitada pelos canais de atendimento  www.bhip.com.br, telefone 0800-941-6789, ou aplicativo BHIP para smartphones.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade