Publicidade

Estado de Minas Itajubá

Polícia prende mais de 20 pessoas em operação contra crime organizado

As investigações duraram dois meses e foram emitidos 38 mandados de busca e apreensão


13/08/2020 18:03 - atualizado 13/08/2020 18:30

As investigações duraram cerca de dois meses(foto: Divulgação/ Polícia Civil)
As investigações duraram cerca de dois meses (foto: Divulgação/ Polícia Civil)
A Polícia Civil (PC) prendeu, na manhã desta quinta-feira (13), durante a operação “Caronte”, em Itajubá, na Região Sul de Minas Gerais, 21 pessoas suspeitas de envolvimento com o crime organizado. As investigações duraram dois meses.

De acordo com a Polícia Civil, 12 homens e nove mulheres foram presos e conduzidos para o sistema prisional e estão à disposição da Justiça. Ao todo, foram cumpridos 38 mandados de busca e apreensão e 32 mandados de prisão. 

Ainda segundo os responsáveis pela operação, também foram apreendidos quatro celulares, seis porções de sementes de maconha, 29 porções de cocaína, 13 porções de crack, várias cápsulas para armazenar drogas e uma arma de fogo. 

A operação “Caronte” foi a etapa final de várias outras investigações policiais realizadas nas últimas semanas no Sul do estado. Para o delegado responsável por conduzir as operações, Alexandre Valentim Boari de Souza, além do crime organizado foi identificado que algumas pessoas procuravam a quadrilha para a prática de “justiça privada”.

Operação

De acordo com as investigações, a organização criminosa investigada conduzia uma espécie de “tribunal de exceção”, composto por integrantes da quadrilha. Nele, as partes envolvidas eram conduzidas a um local determinado onde, mediante atuação de outros criminosos, era realizado um “julgamento”. A aplicação das penas consistia, algumas vezes, em agressões.
 
Porções de droga e uma arma de fogo foram apreendidas na operação(foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Porções de droga e uma arma de fogo foram apreendidas na operação (foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Foram identificados pelo menos três casos de “julgamento” com a participação dos suspeitos, acompanhados e executados pelos integrantes da facção. Nesse contexto, a Polícia investiga a prática dos crimes de sequestro, cárcere privado, tortura e organização criminosa.

“Realizamos um trabalho intenso de investigação e conseguimos identificar suspeitos pertencentes à facção criminosa que vinham criando uma espécie de ‘justiça privada’ a pessoas que quebravam regras impostas por esta organização”, explicou o delegado que conduziu as investigações.

Durante os trabalhos investigativos, foi identificado o vínculo de alguns integrantes da associação criminosa com responsáveis por pontos de venda de drogas na região. Alguns dos investigados ainda foram presos em decorrência de investigação conduzida pela Delegacia de Crimes contra o Patrimônio, já que também são suspeitos de cometer roubos em Itajubá.

A operação teve a participação de 140 policiais civis, com equipes das regionais de Itajubá, São Lourenço, Pouso Alegre, Varginha, Três Corações, Lavras e Poços de Caldas, além da equipe do Canil e do Apoio Aéreo de Belo Horizonte. A ação ainda teve o apoio da Polícia Penal do Presídio de Itajubá e da Guarda Municipal de Itajubá.
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade