Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Homem preso em flagrante por estupro é suspeito de outros casos

O estuprador se passava por policial e ameaçava matar a família de suas vítimas caso o denunciassem; delegada orienta que, caso alguma mulher reconheça o suspeito como autor de outros crimes, procure a Polícia Civil


12/08/2020 20:23 - atualizado 12/08/2020 21:26

Carlos César Ferraz de Lacerda, de 34 anos(foto: PCMG/Divulgação)
Carlos César Ferraz de Lacerda, de 34 anos (foto: PCMG/Divulgação)
Policiais da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) investigam se Carlos César Ferraz de Lacerda, de 34 anos, preso em flagrante no Bairro Tupi, Região Norte de BH, depois de estuprar de uma adolescente de 17 anos, no sábado, seria também o autor de outros três crimes semelhantes. Ele é também suspeito de se passar por policial.

Carlos César foi preso no último sábado, quando a adolescente chamou a polícia para socorrê-la. Ela estava na casa do autor. Ao ser preso, o acusado foi flagrando por sequestro de vulnerável, porte ilegal de arma, posse de munição e ainda crimes contra a fauna, uma vez que foram encontrados pássaros sem registros em sua casa.

Ao investigar crimes passados, policiais encontraram casos semelhantes, com o mesmo modus operandi. Num inquérito de 2016, que tem como vítima também uma adolescente, de 16 anos, o agressor foi descrito pela vítima como sendo um homem com as mesmas características físicas do preso. A forma violenta de abordagem e ameaças também são semelhantes às empregadas no caso de sábado.

Em janeiro deste ano, uma mulher de 19 anos registrou ocorrência de estupro. Na manhã desta quarta-feira (12/8), essa vítima esteve na Depca e reconheceu Carlos como o autor do crime, ocorrido também na Região Norte de Belo Horizonte.

O Delegado responsável pelo caso, Diego Lopes, diz acreditar que o suspeito tenha feito outras vítimas. “É pouco provável que um homem com esse perfil violento tenha ficado quatro anos sem cometer crimes. Foram dois estupros em 2020 e um em 2016. Acredito que existam outras vítimas que irão reconhecê-lo.”

Em seus depoimentos, todas as vítimas contaram que Carlos se apresentava como policial, mostrava uma arma e ameaçava matar toda a família da vítima caso ela decidisse denunciá-lo. Os crimes aconteciam dentro do carro do suspeito, um astra vermelho. O veículo e o revólver mencionados pelas vítimas foram apreendidos na noite do flagrante.

O delegado informa que a investigação referente ao crime ocorrido no sábado foi concluída. Carlos foi indiciado por estupro de vulnerável, porte ilegal de arma, sequestro, posse de munição e ainda crimes contra a fauna.


Pedido de ajuda

A delegada Iara França, que também está participando das investigações, orienta que, caso alguma mulher reconheça o suspeito como autor de outros crimes, procure a Polícia Civil. “As mulheres podem procurar a Depca ou a Delegacia de Atendimento à Mulher para fazer a denúncia. A Polícia Civil está apta a recebê-las.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade