Publicidade

Estado de Minas GRANDE BH

COVID-19: duas famílias de Nova União somam quase metade dos casos na cidade

Resultados positivos de dois grupos de parentes representam 48% dos total de registros da doença na cidade.


11/08/2020 17:11 - atualizado 12/08/2020 09:04

Com pouco mais de 5 mil habitantes, Nova União chamou atenção pela maioria dos seus casos de COVID-19 estarem relacionados a duas famílias.(foto: Prefeitura de Nova União/Divulgação)
Com pouco mais de 5 mil habitantes, Nova União chamou atenção pela maioria dos seus casos de COVID-19 estarem relacionados a duas famílias. (foto: Prefeitura de Nova União/Divulgação)

Nova União, na Região Metropolitana de BH (RMBH), tem pouco mais de 5.700 moradores. O último boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Saúde do município, conta 27 casos de COVID-19 confirmados, sendo 23 já recuperados e quatro pacientes ainda em isolamento. Até o momento não houve mortes pela doença. O que chama a atenção nessa estatística é que apenas duas famílias detém o maior número de casos confirmados na cidade, somando entre eles, 13 casos positivos.

 

Oito pessoas de uma mesma família testaram positivo para o novo coronavírus. Segundo a coordenadora de atenção básica de Nova União, Creuza Junia Pereira, muitas pessoas saem do município diariamente e devido a isso fica difícil controlar o contato com o vírus. “Em uma mesma família várias pessoas tem a necessidade de sair de Nova União para trabalhar. Um exemplo são os que trabalham com a produção de banana que precisam ir, semanalmente, ao Ceasa, em Contagem, vender a fruta. Quando a secretaria toma conhecimentos de testes positivos, isola o paciente imediatamente”, exemplifica Creuza. Vale ressaltar que esses não foram os primeiros casos notificados no município.

 

Mesmo assim a notícia se espalhou e, segundo Creuza, os integrantes relataram preconceito dos demais moradores. “Imagina uma cidade pequena com poucos habitantes no qual uma única família tem vários casos positivos de COVID-19. Virou notícia e, obviamente, logo todos estavam comentando. Isso gerou desconforto para a família”.

 

O município é o segundo maior produtor de bananas de Minas Gerais. A cidade forneceu, em 2019, ao Ceasa MG, o equivalente a quase 13 milhões e meio de quilos de banana nanica, por exemplo. O que somou mais de 18 milhões e quinhentos mil reais de renda. 

 

O procurador da prefeitura de Nova União, Lucas Soares Pinto Fernandes, pontua que este é um valor maior que a própria receita do município que no ano passado fechou em 17 milhões e 144 mil reais. “Isto é apenas dados referentes à banana nanica e a comercialização dentro do Ceasa, em Contagem. Vale lembrar, também, que há produtores que fornecem diretamente a supermercados de outras cidades. Esta é a principal economia de Nova União. Por isso, vivenciamos o fato deles terem que se deslocar ao menos duas vezes por semana a outras regiões para vender a fruta. É um risco que eles correm em momento de pandemia”, diz o procurador.

 

Nova União ainda não aderiu ao Programa Minas Consciente do governo do Estado, mas tem seguido os rígidos protocolos de contenção da pandemia e somente o comércio essencial está funcionando. 

 

 

 

 

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade