Publicidade

Estado de Minas NOVO CORONAVÍRUS

BH registra mais 19 mortes por COVID-19, e ocupação dos leitos volta a cair

Capital mineira computa 24.536 diagnósticos da doença e 671 óbitos no total, segundo boletim da prefeitura


10/08/2020 18:05 - atualizado 10/08/2020 18:09

Oito em cada 10 mortes por COVID-19 em BH aconteceram entre a população idosa(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Oito em cada 10 mortes por COVID-19 em BH aconteceram entre a população idosa (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

 

Mais 19 pessoas morreram em Belo Horizonte por COVID-19 entre sexta (7) e segunda-feira (10), informou o boletim epidemiológico e assistencial publicado pela prefeitura. O levantamento ainda traz 24.536 diagnósticos da doença: 671 mortes, 2.015 casos em acompanhamento e 21.850 recuperados.

 

No balanço por regional, aquela com mais mortes é Venda Nova, com 94. A Região Nordeste tem 90 vidas perdidas. Ainda estão na lista Barreiro (76), Noroeste (76), Oeste (75), Centro-Sul (71), Leste (71), Norte (64) e Pampulha (54).

 

E a situação deve piorar, já que ainda há 69 mortes em investigação na cidade. A taxa de letalidade (porcentagem de infectados que morre) na capital mineira é de 2,7%.

 

De acordo com o boletim da PBH, 97,9% dos mortos por COVID-19 em BH tinham algum fator de risco. No total, 14 pessoas que perderam a batalha contra o novo coronavírus na cidade não apresentavam comorbidades.

 

Entre os 671 óbitos, 551 são de idosos: 82,1% dos mortos. Ainda estão na lista 336 cardiopatas, 245 diabéticos, 140 pneumáticos e 103 obesos.

 

Leitos

 

 

 

A ocupação dos leitos para COVID-19 voltou a cair em Belo Horizonte no balanço divulgado nesta segunda. Na soma entre a rede pública e a privada, a prefeitura registra 73% de uso nas UTIs e 47% nas enfermarias. No balanço anterior, os índices eram, respectivamente, 76% e 52%.

 

Vale lembrar que desde a flexibilização anunciada pela PBH na semana passada, o Executivo municipal mudou os critérios quanto à ocupação dos leitos: deixou-se de considerar apenas o SUS, incluindo também a rede suplementar.

 

Quanto ao uso das UTIs da rede pública, a taxa de uso é de 80%: a menor desde 18 de junho. Já nas enfermarias, a ocupação é de 49%, o menor parâmetro desde 2 de junho.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade