Publicidade

Estado de Minas COMPANHEIROS

Adoção de animais aumenta durante isolamento social por COVID-19

Na fazenda Abrigo de Fauna, em Brumadinho, 60 cães e gatos ganharam novo lar desde o final de maio; saiba como adotar


23/07/2020 17:18 - atualizado 23/07/2020 19:35

Adoção de animais, como cães e gatos, durante a pandemia do novo coronavírus aumentou(foto: Divulgação)
Adoção de animais, como cães e gatos, durante a pandemia do novo coronavírus aumentou (foto: Divulgação)
Ficar em casa e isolado durante esta pandemia do novo coronavírus pode ser um desafio. De acordo com pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), casos de depressão quase dobraram e os de ansiedade e estresse tiveram aumento de 80% durante a quarentena. Nesse período, muitas pessoas têm encontrado refúgio nos animais, e a adoção foi adaptada para as novas regras de isolamento social.

Caio Mendes e Bruno Pontes são casados há três anos e no final de maio decidiram adotar um cachorro, o Pingo. “Sempre quis ter um cãozinho e após assistir a reportagem sobre os animais resgatados no desastre da barragem de Brumadinho, entramos em contato. Fizemos cadastro e entrevista, e o Pingo chegou.", conta o casal.

Caio Mendes e Bruno Pontes adotaram um cachorro, Pingo, no final de maio(foto: Luan Jerônimo)
Caio Mendes e Bruno Pontes adotaram um cachorro, Pingo, no final de maio (foto: Luan Jerônimo)
A chegada do novo integrante levou a boas alterações na rotina da família: "Mudou muita coisa, é uma responsabilidade muito grande e uma companhia muito alegre, que levantou a energia de nossa casa, ainda mais nestes tempos de isolamento social”.
 
A fazenda Abrigo de Fauna, em Brumadinho, Região Metropolitana de BH, é um dos locais que abriga animais para adoção. Desde o final de maio, 60 deles, entre cães e gatos, encontraram novo lar, segundo a analista ambiental e gestora da fazenda, Magda Castro.

Ela conta que além das campanhas on-line de adoção, o que motivou esse aumento foi a busca de um companheiro para os dias de solidão na quarentena.

Magda Castro, analista ambiental e gestora da fazenda Abrigo de Fauna, conta que já foram cerca de 60 adoções desde o final de maio(foto: Divulgação)
Magda Castro, analista ambiental e gestora da fazenda Abrigo de Fauna, conta que já foram cerca de 60 adoções desde o final de maio (foto: Divulgação)

“Primeiro abandonamos as feiras físicas durante esta pandemia e ampliamos a campanha on-line, o que atingiu um público maior. Ficou claro nas procuras que as pessoas queriam companhia, e com certeza cães e gatos são excelentes para isso", afirma Magda.

Ela destaca que é preciso ter consciência também do cuidado que os pets vão demandar: "Eles estão disponíveis para dar e receber carinho e atenção. Requerem cuidados que fazem as pessoas saírem da rotina”.

Como adotar

Magda diz que a fazenda tem cerca de 500 animais entre cães, gatos, bovinos, equinos, aves, suínos e animais silvestres. Para adoção são cerca de 150 cães e gatos.

O processo para adoção está sendo feito de forma online. No site da Vale, o portal “Me Leve Pra Casa” tem um book dos animais com fotos e perfil de cada um. O interessado escolhe no site e entra em contato por meio do telefone disponibilizado.

Dúvidas, fotos, vídeos e entrevistas estão sendo feitas de forma on-line. 

Caso a pessoa esteja interessada em adotar, a fazenda entrega o animal em casa, desde que o endereço seja na Região Metropolitana de BH, segundo Magda Castro.

O cão ou gato chega para o novo dono já vacinado, vermifugado e castrado.

A adoção dos animais está sendo feita de forma totalmente on-line durante a quarentena(foto: Divulgação)
A adoção dos animais está sendo feita de forma totalmente on-line durante a quarentena (foto: Divulgação)
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Kelen Cristina


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade