Publicidade

Estado de Minas ÁREA DE RISCO

DER retira pedra que estava para se soltar na Serra da Piedade

Intervenção ocorreu no km 3,8 da AMG-1235 e projeto prevê ainda a construção de contenção na encosta


21/07/2020 17:49 - atualizado 21/07/2020 19:15

Trabalho de retirada da pedra na AMG-1235, que corria o risco de se desprender (foto: ACS DER-MG/Divulgação)
Trabalho de retirada da pedra na AMG-1235, que corria o risco de se desprender (foto: ACS DER-MG/Divulgação)
Mais segurança no acesso à Serra da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte – embora o santuário dedicado à padroeira de Minas esteja fechado para visitação devido à pandemia do novo coronavírus. Uma pedra que estava em risco de se soltar e cair sobre a pista, no km 3,8 da AMG-1235, no sentido da portaria para o topo da montanha, foi retirada pela equipe de manutenção do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG).

Conforme a assessoria do departamento informou na tarde desta terça-feira (21), os trabalhos ainda não estão concluídos, pois foi feito um projeto de contenção da encosta no local, "com o objetivo de evitar que outros deslizamentos de materiais como pedras ou terra venham a atingir a pista".

O projeto de contenção prevê a construção de um muro de gabião, com cerca de 20 metros de comprimento por dois de largura e três de altura. No momento estão sendo reunidos os materiais - tela e pedras - para a iniciar a construção desse muro.

Como se trata de trabalho manual, explicam os técnicos do DER, no qual as telas são montadas formando caixas e essas são preenchidas com pedras, ainda não é possível definir data para o término dos serviços.

Interditado por causa da pandemia


Desde 19 de março, o complexo do Santuário Nossa Senhora da Piedade, administrado pela Arquidiocese de BH e fechado à visitação geral, obedece o decreto de dom Walmor para evitar aglomerações.

As determinações incluem as paróquias de 28 municípios da RMBH.
 
"Nosso objetivo é garantir a segurança dos devotos. Portanto, priorizamos as transmissões virtuais, sem o público e obedecendo também às determinações das prefeituras Caeté e Sabará", afirma o reitor, padre Wagner Calegário, em entrevista publicada pelo Estado de Minas nesta terça-feira (21).

"Entendemos a ansiedade das pessoas para irem ao santuário, mas, por enquanto, é impossível. Pode ser que mais adiante ele seja reaberto para visitação. Temos que aguardar", explica.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade