Publicidade

Estado de Minas SONEGAÇÃO

'Aguentar porrada para ter sucesso', diz fundador da Ricardo Eletro antes da prisão

Operação batizada de 'Direto Com o Dono' prendeu três suspeitos de esquema que fraudou ao menos R$ 387 milhões dos cofres públicos


postado em 08/07/2020 16:15 / atualizado em 08/07/2020 20:39

Ricardo Nunes soma mais de 50 mil seguidores no Instagram(foto: Reprodução/Instagram)
Ricardo Nunes soma mais de 50 mil seguidores no Instagram (foto: Reprodução/Instagram)

O fundador da rede varejista de eletrodomésticos Ricardo Eletro, principal alvo da operação batizada de “Direto Com o Dono”, que investiga lavagem de dinheiro e sonegação fiscal, publicou em uma rede social mensagens motivacionais horas antes de ser preso, nesta quarta-feira (8).

Um internauta perguntou ao empresário Ricardo Nunes como ele conseguiu ser um sucesso. “Para ter sucesso tem que ter muito trabalho, além disso, a pessoa tem que aguentar apanhar. Quem aguenta apanhar mais, quem segue aguentando mais porrada, é o cara que tem mais sucesso. São poucos que aguentam pressão, na verdade”, respondeu, em vídeo.



Em vídeo publicado anteriormente, Ricardo respondeu outro seguidor que questionava se seria possível acreditar em um futuro econômico melhor no Brasil. “Tem condição sim. O país nosso nunca teve um juros de 2,25%. Uma grande oportunidade para você crescer”, defendeu o empresário.

Em sua conta no Instagram, ele se identifica como “empresário e investidor” e “apaixonado por vendas”. Ricardo publicava vídeos e frases motivacionais direcionadas a empreendedores e depoimentos contando experiências de liderança e competição no mercado.

O primeiro post no perfil @ricardonuneseletro foi em 4 de maio. Até a publicação desta matéria, ele acumulava 54,7 mil seguidores e seguia 147 perfis de famosos e influentes como os cantores Gusttavo Lima e Leonardo; o DJ Alok; o historiador Leandro Karnal; influenciadores de carreira e negócios, como Gustavo Caetano, Paulo Vieira e Thiago Nigro; o jogador de futebol Neymar; o apresentador Luciano Huck; o presidente Jair Bolsonaro; e inclusive Luciano Hang, co-fundador e proprietário da Havan, famosa rede de lojas de departamentos.

Preso em SP

Ricardo Nunes, que não pertence mais à empresa Ricardo Eletro legalmente, mas que é suspeito de ainda ter participação, foi preso em São Paulo (SP), enquanto Laura Nunes, filha mais velha do administrador, foi detida em Nova Lima, na Grande BH.

O diretor-superintendente da Ricardo Eletro, Pedro Daniel Magalhães, é considerado foragido. Ele era esperado em Santo André, mas não foi localizado. Em BH, durante um dos mandados em uma mansão da família no Bairro Belvedere, Região Centro-Sul, um segurança da residência e ex-agente penitenciário foi preso por desobediência, já que não abriu o portão da casa.

A operação

A força-tarefa composta por Polícia Civil, Receita Estadual e Ministério Público de Minas Gerais investiga lavagem de dinheiro e sonegação por parte dos três suspeitos, que teriam tido ao menos R$ 387 milhões de lucro com as infrações.

Segundo os agentes, os dois crimes eram realizados com efeito cascata. Em um primeiro momento, havia a sonegação fiscal. Posteriormente, com o recebimento indevido, era possível aplicar esses recursos em contas de familiares para lavar o dinheiro.

(Com informações de Matheus Muratori)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade