Publicidade

Estado de Minas

'Estamos com medo dos indicadores', afirma secretário de Saúde de BH

Secretário Jackson Machado diz que reabertura de outros setores depende dos índices epidemiológicos. Taxa de ocupação nas UTIs capital está em 74%


postado em 12/06/2020 14:37 / atualizado em 12/06/2020 15:49

(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)
(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)

 O secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, afirmou que está com medo dos indicadores na capital. Em entrevista coletiva, nesta sexta-feira (12), com a presença do prefeito Alexandre Kalil, ele falou sobre a taxa de ocupação dos leitos, taxa de transmissão da doença e como ficará a reabertura do comércio na capital.

Kalil diz que comércio de BH não será ampliado na próxima semana
 
Kalil informou que a taxa de transmissão chegou a 1,30, no nível máximo de atenção,  na cor vermelha, mas hoje esse índice voltou para o amarelo. O número de veículos na rua, chegou a atingir 228 mil.  A taxa de isolamento caiu de 48,8% para 46%.
 
O secretário afirmou que a reabertura de outros setores do comércio depende dos índices epidemiológicos. A taxa de ocupação das UTIs chegou a 75%, hoje está em 74%, ou seja, entrou no vermelho.

Machado afirmou ainda que pediu a abertura do hospital de campanha para que a demanda das pessoas que vêm do interior não estrangule a rede de saúde de BH. A taxa de ocupação das enfermarias  na rede hospitalar é de 58%, no nível amarelo. 
 
A testagem da COVID-19 em Belo Horizonte, segundo o secretário, tem sido realizada de maneira estratégica. Ele alertou para a necessidade de ter atenção com os quadros assintomáticos.

"A pessoa que teve a COVID, ainda assim, pode ser vetora. Ela pode sair espalhando. Testar só para ficar sabendo não ajuda nada", afirmou Machado. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade