Publicidade

Estado de Minas PREVENÇÃO

Moradores de rua de BH passarão por testes de COVID-19

Desabrigados sintomáticos serão os primeiros a passar pelo procedimento de proteção


postado em 05/06/2020 16:25 / atualizado em 05/06/2020 17:10

Desde abril, moradores de rua da capital estão sendo instalados no Sesc Venda(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Desde abril, moradores de rua da capital estão sendo instalados no Sesc Venda (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
A prefeitura de Belo Horizonte anunciou na tarde desta sexta-feira que fará testes simples de coronavírus nos moradores de rua. A previsão é de que os desabrigados da capital mineira sejam testados a partir da semana que vem. De acordo com a secretaria de saúde, os moradores sintomáticos serão os primeiros a passar pelo procedimento para detectar a presença ou não do vírus.
 
De acordo com o Cadastro Único do governo federal (CadÚnico), Belo Horizonte tem cerca de 9 mil moradores em situação de rua. Mas, segundo dados da prefeitura, o número dos sem-teto seriam 4,6 mil. Desde o início da pandemia da COVID-19, cerca de 100 pessoas foram realocadas no Sesc Venda Nova, na Região Norte da capital. Aqueles que apresentam sintomas da doença estão sendo deslocados para unidades de saúde da região.

A cidade conta ainda com 11 abrigos e casas de passagem para atender aos sem-teto. Nesta semana, a Pastoral da Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte anunciou que acolherá moradores de rua na Serraria Souza Pinto, espaço tradicional de festas e eventos da cidade. 

“O controle dos moradores de rua está sendo intensificado. A partir da semana que vem, vamos passar testá-los todos os sintomáticos, como vamos testar aqueles graves e moradores que tenham algum sintoma respiratório. É uma medida de proteção para essas pessoas. Estamos abrigando os moradores de rua com sintomas no Sesc Venda Nova, numa parceria com a secretaria municipal de políticas sociais”, explicou o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.  

Além da ameaça do coronavírus, os desabrigados têm de enfrentar a queda de temperatura na capital neste final de outono, o que se torna um risco para a proliferação doenças respiratórias como gripe, pneumonia ou mesmo febre.
 
Nesta sexta-feira, a prefeitura de Belo Horizonte, com base em orientações do Comitê de Enfrentamento à Epidemia da COVID-19, decidiu liberar o funcionamento de mais tipos de estabelecimento na capital a partir da semana que vem. O município inicia a fase 2 da reabertura gradual da economia

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade