Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Hospital Júlia Kubitschek atenderá apenas a casos do coronavírus

A Fhemig é responsável por 50% das internações em terapia intensiva para o tratamento da doença em Belo Horizonte


postado em 25/05/2020 13:35 / atualizado em 25/05/2020 15:04

Presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Fábio Baccheretti, disse que ampliará o número de leitos(foto: Facebook/Reprodução)
Presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Fábio Baccheretti, disse que ampliará o número de leitos (foto: Facebook/Reprodução)

 

O presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Fábio Baccheretti, informou que o Hospital Júlia Kubistschek antenderá exclusivamente casos de COVID-19. Atualmente, a principal referência no Estado é Hospital Eduardo de Menezes. A Fhemig é responsável por 50% das internações em terapia intensiva para o tratamento da doença em Belo Horizonte.

 

"Neste momento, o Hospital Eduardo de Menezes está com alta ocupação dos leitos.  É a primeira fase do nosso plano de capacidade plena. Estamos iniciando a segunda fase, utilização de outro hospital em Belo Horizonte, o Hospital Júlia Kubistschek ,como o hospital de o recebimento de pacientes de enfermaria, não terapia intensiva",  suspeitos de COVID", afirmou.

 

Com essa mudança, os casos suspeitos das unidades de pronto atendimento (UPAs) serão encaminhados para o Júlia Kubistschechek. A rede da Fhemig conta com 20 hospitais. 

 

Fábio ressaltou que a incidência da doença em Minas está aumentando e lembrou que a rede ampliou o número de leitos de terapia intensiva para atender os pacientes graves de COVID-19. "A prevalência ainda de COVID, nos nossos hospitais, é baixa, mas a incidência, número de casos novos, está aumentando. Antigamente, de cada dez pacientes, 1 ou 2 davam positivo. Hoje essa proporção chegou a quatro a cinco a cada 10. Precisamos otimizar melhor nossos leitos", disse.

 

Dos pacientes que foram tratados da COVID-19 no Hospital Eduardo de Menezes, 56% tiveram que ser levados para a unidade de terapia intensiva (UTI). Dos casos suspeitos de COVID-19, os de maior complexidade seguem para o Hospital Eduardo de Menezes e os de menos complexidade permanecem no Júlia. Atualmente, a maternidade do Hospital Júlia Kubistschek atende apenas a gestantes com suspeita de COVID.

 

O Hospital Eduardo de Menezes tem 30 leitos ativos e, nos próximos dias, contará com mais 10. Outra ampliação será no próximo mês, com o término da obra. Serão mais 12 leitos. Ao todo, o hospital terá 52 leitos de terapia intensiva

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade