Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Governo antecipa volta de servidores da educação; alguns, presencialmente

Nesta semana, Secretaria de Educação anunciou que as aulas voltarão de forma remota já na próxima segunda-feira


postado em 15/05/2020 19:44 / atualizado em 15/05/2020 20:41

Aulas da rede estadual de ensino começarão na próxima segunda-feira (18). Na foto, o Instituo de Educação de Minas Gerais, um dos colégios mais famosos do estado(foto: IEPHA)
Aulas da rede estadual de ensino começarão na próxima segunda-feira (18). Na foto, o Instituo de Educação de Minas Gerais, um dos colégios mais famosos do estado (foto: IEPHA)
 A briga entre o governo estadual e os profissionais de educação de Minas ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira. Isso porque o Executivo bateu o martelo na mesa e antecipou o retorno da categoria aos trabalhos, que antes estava previsto para a próxima segunda-feira. O governo ainda incluiu profissionais da Educação Básica ao regime de teletrabalho.


Três dias depois da divulgação e um dia depois da entrevista da secretária ao Estado de Minas, foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais uma deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19, alterando o regime de teletrabalho do Sistema Estadual de Educação.

O comitê é presidido pelo secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Com isso, a disputa entre a secretaria de Educação e a categoria dos educadores ganha um novo personagem. 

Apesar do texto ter sido publicado nesta sexta-feira, a norma antecipa para quinta-feira (14) o retorno ao trabalho presencial para auxiliares de serviço de educação básica. Antes mesmo da divulgação no Diário Oficial, o Sind-UTE já vinha denunciando a convocação de profissionais ao trabalho presencial nesta semana.

Por outro lado, o governo garante que essa volta não propiciará aglomerações e contaminações da COVID-19, já que foi feita um plano de escala para esses servidores.

A determinação ainda amplia o regime de teletrabalho para professor de Educação Básica, especialista em Educação Básica e analista de Educação Básica. Anteriormente, a norma valia apenas para  diretores e secretários de escolas; vice-diretor e coordenador; assistente técnico de Educação Básica;analista educacional – inspetor escolar; e assistente de Educação.

O Estado de Minas entrou em contato com o Sind-UTE e aguarda retorno.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade