Publicidade

Estado de Minas

"Não queremos covas. Queremos pessoas tendo condições de serem cuidadas", diz Zema

Em pronunciamento, o governador Romeu Zema anunciou obras para construção de cinco hospitais regionais com recursos de compensação de mineradoras


postado em 29/04/2020 12:50 / atualizado em 29/04/2020 14:53

(foto: Gil Leonardi/Imprensa MG/Divulgação)
(foto: Gil Leonardi/Imprensa MG/Divulgação)

 

No dia seguinte em que foi anunciado pelo prefeito Alexandre Kalil a abertura de 1,9 mil covas em Belo Horizonte para vítimas da COVID-19, o governador Romeu Zema afirmou que "não queremos covas". "Não queremos covas. Queremos pessoas tendo condições de serem cuidadas", afirmou durante entrevista coletiva, nesta quarta (29).

 

O governador anunciou a liberação pela Justiça de R$ 645 milhões referentes a medidas compensatórias das mineradoras Vale e Samarco pelos rompimentos de barragens em Mariana e Brumadinho.

 

Sem fazer referência ao prefeito Alexandre Kalil, Zema afirmou que, apesar da edição dos protocolos sanitários no programa Minas Consciente, cabe aos prefeitos a decisão pela reabertura das atividades econômicas.

 

"Como governador do Estado, estou muito preocupado de que reativação da economaia seja feita de forma mais segura e criteriosa possível. O prefeito que julgue se o número de casos proporciona margem de segurança. Ele deve tomar a decisão", disse.  Zema afirmou que seria "muita pretensão" determinar que os prefeitos assumam uma única medida de enfrentamento e que ele "respeita e confia nos prefeitos". 

 

O governador disse ainda que conversou com o prefeito de Betim, Vittorio Medioli, que publicou decreto prevendo a retomada das atividades naquele município. "Estive com Medioli, que está fazendo reabertura gradual em Betim. Ele me disse tenho poucos infectados e nenhum óbito", disse Zema.  

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade