Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Polícia Civil recupera carga com insumos para a fabricação de álcool gel

Mercadoria foi roubada no dia 7 por quatro criminosos armados. Dois suspeitos foram identificados. Roubo de cargas cresceu no último mês


postado em 17/04/2020 14:54 / atualizado em 17/04/2020 15:11

(foto: PCMG/Divulgação)
(foto: PCMG/Divulgação)

A Polícia Civil de Minas Gerais recuperou um caminhão com 5 toneladas de insumos usados na fabricação de álcool em gel, produto avaliado em R$ 32.500. A carga vinha de Jacareí (SP), com destino a Lauro de Freitas (BA), quando o caminhão foi tomado de assalto por quatro criminosos armados. O crime ocorreu às 21h do dia 7 de abril, na BR-381, próximo a Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O motorista, um homem de 57 anos, e seu filho, um adolescente de 12 anos, foram abandonados duas horas depois no município de Esmeraldas, também na RMBH. Ninguém foi preso, mas há dois suspeitos identificados.

As vítimas procuraram socorro em um posto de combustível e fizeram ocorrência junto à Polícial Rodoviária Federal, que também prestou apoio à investigação conduzida pela Polícia Civil. Uma equipe da Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas iniciou a investigação e conseguiu encontrar e fazer a recuperação do caminhão e sua carga na última terça-feira (14), por volta das 11h, no Bairro Santa Maria, em Contagem, na RMBH.

De acordo com o delegado César Matoso, o veículo foi encontrado em via pública, o que é uma prática comum para reconhecer a carga e deixar o roubo “esfriar”. “A quadrilha provavelmente tinha alguma informação de que havia álcool em gel na carga, produto que tem tido grande procura por causa da epidemia da COVID-19. "Ao reconhecer que a carga era apenas um insumo para a fabricação do álcool em gel, a negociação ficou mais difícil. Porque essa não é uma carga de fácil negociação como medicamentos, perecíveis, enfim, produtos prontos para serem vendidos. Precisava de um consumidor muito específico”, explica o delegado, que também fez o monitoramento de possíveis receptadores.

(foto: PCMG/Divulgação)
(foto: PCMG/Divulgação)

Além das 5 toneladas do produto identificado como Aquawan 20, utilizado para a fabricação do álcool em gel, havia outros produtos no caminhão roubad. A carga total estava avaliada em R$ 48 mil. Os produtos pertencem a uma empresa do ramo de cosméticos e perfumaria sediada na Bahia e não tinham seguro. As mercadorias agora devem seguir para seu destio final.

Os investigadores não acreditam que o caminhão estivesse abandonado porque, além da carga, o próprio veículo tem valor de mercado, avaliado entre R$ 100 mil e R$ 120 mil.  Até esta sexta-feira (17), nenhum suspeito foi preso. A Polícia Civil afirmou que a organização crimosa foi parcialmente identificada, sendo dois suspeitos de Minas Gerais que já têm envolvimento com o roubo de cargas. Os investigadores estão trabalhando para obter prisão preventiva desses suspeitos junto ao Judiciário. “As investigações seguem em andamento a fim de identificar os outros dois suspeitos e a prisão de todos os responsáveis pela ação criminosa”, indicou o delegado.

No último mês, a Polícia Civil identificou avanço nos casos de roubo a carga em Minas. “Eles têm procurado por todo tipo de mercadoria, não escolhem as de maior valor de mercado. Neste período, foram mais de 30 inquéritos que resultaram em investigação e mandados de prisão, que aguardam o Judiciário. Até agora não identificamos um fator específico para esse aumento. Minas Gerais tem a maior malha viária do país, o que dificulta ter um policiamento ostensivo, e isso facilita a ação dos criminosos”, avalia Matoso.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade