Publicidade

Estado de Minas

Imprudência: motoristas não respeitam interdição da Avenida Tereza Cristina

Bloqueios aconteceram depois de enchente do Ribeirão Arrudas ocorrida na tarde de domingo. Via voltou a ser fechada nesta segunda por causa das chuvas


postado em 20/01/2020 19:07 / atualizado em 20/01/2020 19:17

Motoristas não respeitaram bloqueios na Avenida Tereza Cristina e cortaram caminho pela via interditada (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Motoristas não respeitaram bloqueios na Avenida Tereza Cristina e cortaram caminho pela via interditada (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)

 

A pressa e a falta de educação somadas ao trânsito caótico de Belo Horizonte durante o horário de pico, ainda mais com chuvas, diversos motoristas ignoraram os bloqueios na Avenida Tereza Cristina nesta segunda-feira (20).


A reportagem flagrou várias infrações deste tipo bem em frente ao Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, localizado no Bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte.


Os bloqueios aconteceram depois da enchente do Ribeirão Arrudas ocorrida no domingo. Três pontos diferentes da Tereza Cristina foram fechados diante dos estragos causados pela precipitação.

 

(foto: Paula Santana/EM/D.A Press)
(foto: Paula Santana/EM/D.A Press)
 


Mais cedo, durante a tarde desta segunda, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) decretou situação de emergência para a região da Avenida Tereza Cristina, duramente atingida, segundo ele, “por uma chuva que só ocorre de mil em mil anos”.


Novo bloqueio


Diante da chuva que atingiu Belo Horizonte na tarde desta segunda, a Defesa Civil interditou novos pontos da Tereza Cristina. O fechamento durou nove minutos e aconteceu no trecho entre Avenida Presidente Castelo Branco e o Anel Rodoviário.


Agentes da BHTrans que estão no local informaram que a Defesa Civil suspendeu esse bloqueio especificamente por causa da diminuição da intensidade da chuva. Por isso, a interdição nos outros pontos avenida se mantém por conta de estragos da enchente.

 

De acordo com os mesmos agentes, trafegar pela via danificada pode ser muito perigoso por causa dos buracos, sobretudo durante o período noturno.  

 

*Estagiária sob supervisão da redação do Estado de Minas 


Publicidade