Publicidade

Estado de Minas

Corpos de crianças e adulto são procurados em Furnas; acidente vitimou família

Ao todo cinco pessoas de uma mesma família morreram no lago da represa de Furnas depois que o barco onde estavam se virou, nesta sexta-feira


postado em 28/12/2019 09:00 / atualizado em 28/12/2019 14:20

Bombeiros, policiais militares e militares da marinha buscam pelos corpos desaparecidos no lago(foto: CBMMG)
Bombeiros, policiais militares e militares da marinha buscam pelos corpos desaparecidos no lago (foto: CBMMG)
Equipes de resgate do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) seguem hoje nas buscas pelos corpos de duas meninas e um adulto, membros de uma mesma família que se acidentou num barco e deixou cinco mortos, no lago da represa de Furnas, no Sul de Minas Gerais. As vítimas moram em Franca, no interior de São Paulo.

Segundo familiares, os irmãos Sivanete Reis, Celice Barbosa, ambas de idade não informada, e Sebastião gomes, de 73 anos, juntamente com duas crianças entre três e cinco anos estavam passeando no lago a bordo de um barco de madeira motorizado, quando a embarcação virou. Uma das suspeitas das sobrinhas de Sebastião, que conversou com a equipe de reportagem da TV Alterosa, é que o excesso de peso pode ter provocado a tragédia. 

Na sexta-feira (27), os corpos de Sivanete e Celice  já tinham sido encontrados. Bombeiros, policiais militares e militares da Marinha usam barcos e motos aquáticas nos trabalhos, além do apoio de mais três barcos de amigos e parentes das vítimas. As buscas foram encerradas em torno das 20h de sexta-feira, devido fatores de segurança das equipes e falta de luminosidade.

Os corpos de três adultos foram removidos do lago. Buscas foram encerradas às 20h de sexta-feira(foto: CBMMG)
Os corpos de três adultos foram removidos do lago. Buscas foram encerradas às 20h de sexta-feira (foto: CBMMG)
Uma equipe composta por cinco militares do CBMMG de Passos se deslocou neste sábado, por volta de 5h45 para dar continuidade às buscas aos três corpos não encontrados. Parte da vegetação aquática junto às margens em pontos estratégicos foi retirada, a fim de facilitar a navegação e as buscas submersas (com mergulhadores) e por se tratar de possíveis locais de parada dos corpos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade