Publicidade

Estado de Minas

Professores das redes estadual e municipal protestam e podem votar greve

Profissionais do estado pedem pagamento do piso salarial e o 13º integral; os da prefeitura de BH reivindicam reajuste salarial e revogação de decreto que muda as progressões da carreira


postado em 06/11/2019 11:20 / atualizado em 07/11/2019 08:32

Na Região Norte de Belo Horizonte professores da Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade, aderiram à paralisação(foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Na Região Norte de Belo Horizonte professores da Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade, aderiram à paralisação (foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Profissionais da educação de Minas Gerais realizam ao longo desta quarta-feira (6) mobilizações em todo o estado. Uma paralisação total da rede de ensino foi marcada para a data, além da participação em uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). A categoria tem se posicionado contra o fechamento de turnos e de escolas e reivindica o pagamento integral do 13º e do piso salarial. Professores da rede municipal também se mobilizaram na Praça da Estação.

Na Região Norte de Belo Horizonte a grande maioria dos professores da Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade aderiu ao movimento. As aulas foram suspensas nos três turnos, afetando cerca de 50 turmas. Apenas dois professores não aderiram à paralisação.

Aluna da escola, Ana Rungue, de 17 anos, demonstrou apoio aos professores: “A paralisação de hoje é uma forma de protestar contra os cortes e reivindicar os direitos dos professores. O governo não tem dado apoio e ainda quer tirar o pouco que a gente tem. Acho que é uma forma de buscar a valorização desses profissionais. Então eu super apoio, e espero que traga resultados.” afirma.

A SEE/MG (Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais) informou  que está acompanhando a adesão das escolas estaduais à paralisação convocada pelo sindicato  e que o balanço com os números da paralisação será feito no fim da tarde desta quarta-feira. 

Logo após o término da audiência na Assembleia, a categoria seguiria para a Cidade Administrativa, onde está prevista uma vigília. Mais tarde, a direção estadual do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação (Sind-UTE/MG) fará uma reunião de negociação com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

Rede Municipal 

Professores da rede municipal se reuniram na Praça da Estação a(foto: Sind-Rede/Divulgação)
Professores da rede municipal se reuniram na Praça da Estação a (foto: Sind-Rede/Divulgação)

Os professores da rede municipal decidiram se reunir nesta quarta-feira na Praça da Estação, na Avenida dos Andradas, no Centro. O Sindicato dos Trabalhadores de Educação Municipal de Belo Horizonte (Sind-Rede) informou que, em assembleia, os manifestantes possivelmente vão optar por greve. 

O Sind-Rede afirmou que a categoria se mobiliza a favor do reajuste salarial, que até o momento não foi anunciado pela Prefeitura de Belo Horizonte, e contra o Decreto 17.200 que pode mudar as progressões de carreira. Segundo o sindicato, a proposta prevê o fim do incentivo por qualificações adicionais, como pós-graduação. 



* Estagiárias sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira


Publicidade