Publicidade

Estado de Minas

Cenipa chega em local de queda de avião no Bairro Caiçara e inicia investigação

Equipes do Centro de Investigação e Prevenção de Acidente Aeronáuticos (Cenipa) vão colher elementos que possam esclarecer as causas do acidente


postado em 21/10/2019 14:31 / atualizado em 21/10/2019 16:30

Técnicos já iniciaram os levantamentos para descobrir as causas do acidente(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Técnicos já iniciaram os levantamentos para descobrir as causas do acidente (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)

Investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) já estão no local onde o avião caiu no Bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte. O acidente deixou três pessoas mortas e outras três feridas. Após a avaliação da cena, os militares do Corpo de Bombeiros vão poder retirar o corpo da vítima que ainda continua nos destroços da aeronave.



No trabalho inicial da equipe do Seripa III, órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), já começou. Os investigadores vão fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

De acordo com o Coronel Ivan Pedro Leal Silva, foram coletados documentação do avião, dados de voo e informações sobre o registro da aeronave. As equipes ainda vão ouvir testemunhas da queda e  funcionários do Aeroporto Carlos Prates que ajudaram na preparação do avião para a decolagem. “As informações que vamos coletar, principalmente no local de decolagem, no Carlos Prates, é de pessoas envolvidas no momento da decolagem. Vão nos ajudar bastante. Aqui no local, vamos fazer entrevista com as pessoas que observaram a dinâmica da aeronave. O estado de destruição da aeronave acaba provocando mais complexidade”, afirmou.

Técnicos recolhem documentos da aeronave(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Técnicos recolhem documentos da aeronave (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)


O coronel esclareceu que o modelo de avião que caiu não possui caixa-preta, equipamento que armazena dados do voo. “Este modelo é muito simples e não exige equipamentos como caixa-preta para operar. Sem a caixa preta, dificulta na apuração. As aeronaves mais modernas comerciais tem este tipo de informação e consegue coletar os dados. Como este tipo de aeronave não tem este tipo de equipamento, vamos nos basear nas coletas de dados dos motores e peças que serão analisadas. Isso acaba demorando mais”, comentou.


Ver galeria . 42 Fotos Um avião de pequeno porte caiu em um cruzamento do Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. Carros foram atingidos e pessoas morreramPaulo Filgueiras/EM/DA Press
Um avião de pequeno porte caiu em um cruzamento do Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. Carros foram atingidos e pessoas morreram (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press )


“A investigação realizada pelo CENIPA tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram. A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo CENIPA terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente”, explicou, por meio de nota, o Cenipa.

Peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil também estão no local para fazer levantamentos sobre a tragédia. Segundo a corporação,  os levantamentos são “referentes aos prejuízos materiais causados, bem como, a constatação das mortes já divulgadas”. A apuração das causas da queda da aeronave vão ficar a cargo do Cenipa.

 

 

O acidente

A aeronave caiu sobre carros no Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (21). Segundo o Corpo de Bombeiros, a queda, que ocorreu na Rua Minerva, no trecho situado entre as ruas Nadir e Rosinha Sigaud, deixou ao menos três mortos e três feridos. O avião de pequeno porte modelo SR 20 Cirrus Design havia acabado de decolar do Aeroporto Carlos Prates, tripulado pelo piloto e três passageiros

De acordo com o coronel Erlon Botelho, chefe do Estado-Maior do Corpo de Bombeiros, um dos mortos estava dentro do avião e os outros dois estariam um em um carro estacionado e na calçada.Ainda segundo o coronel, o piloto estaria entre os sobreviventes. "Quando chegamos ao local, nos deparamos com um incêndio. Existe a suspeita de que uma das vítimas seja um pedestre. Um dos mortos era ocupante de um dos carros. Os demais veículos estavam vazios. Os três feridos já foram devidamente medicados e socorridos em hospitais da região metropolitana”, explicou o militar.


Publicidade