Publicidade

Estado de Minas

Chile ou Belo Horizonte? Compare onde as manifestações foram mais violentas

Os estopim para as manifestações e vandalismo no Chile e no Brasil (2013) foi o aumento das passagens do transporte público. Seguiram-se mortes e vandalismo. Veja a comparação


postado em 21/10/2019 08:09

Manifestantes atacam policiais na Avenida Antônio Carlos em BH(foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)
Manifestantes atacam policiais na Avenida Antônio Carlos em BH (foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)
O aumento das passagens do metrô foram o estopim para a série de manifestações e incêndios que abalam o Chile há três dias. No Brasil, em 2013, um movimento similar ocorreu após o aumento das passagens do transporte público - em Belo Horizonte era R$ 0,20. Mas esses dois movimentos só tiveram essa similaridade?

No Brasil foram 20 dias de manifestações mais importantes e a realização da Copa das Confederações e da Copa do mundo foram combustível extra.

No Chile morreram menos pessoas. Foram cinco vítimas, algumas mortas em incêndios. No Brasil morreram 13 pessoas, duas delas em Belo Horizonte, depois de terem caído do Viaduto José Alencar, numa manifestação. Outras três pessoas caíram do mesmo lugar.

Manifestantes provocam incêndios no Chile(foto: SEBASTIÁN CISTERNAS / ATON CHILE / AFP)
Manifestantes provocam incêndios no Chile (foto: SEBASTIÁN CISTERNAS / ATON CHILE / AFP)
No Chile foram registrados ataques a sedes de veículos de comunicação, com incêndios a essas estruturas. No Brasil, um cinegrafista foi morto por um rojão disparado por manifestantes. Equipes de jornalistas foram hostilizados em alguns momentos.

No Chile os supermercados foram vandalizados e saqueados. No Brasil o mesmo ocorreu, também com agências bancárias e concessionárias. Em Belo Horizonte, uma agência de venda de veículos foi incendiada e saqueada na Avenida Presidente Antônio Carlos. Em Brasília, o Palácio do itamaraty chegou a ser incendiado.


Publicidade