Publicidade

Estado de Minas

Perita judicial morre esfaqueada pelo irmão em briga por cachorro em BH

Mãe do casal diz que o homem de 49 anos é usuário de drogas, chegou em casa alterado e discutiu com a irmã por causa dos latidos do animal de estimação dela. Perita judicial morreu com facada no peito. Ele fugiu, mas se entregou à PM nesta manhã


postado em 10/10/2019 09:52 / atualizado em 10/10/2019 14:53

Crime foi em uma casa no Bairro Santo Antônio, na Região Centro-Sul(foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Crime foi em uma casa no Bairro Santo Antônio, na Região Centro-Sul (foto: Reprodução da internet/Google Maps)


Um homem de 49 anos se apresentou à polícia nesta quinta-feira como responsável pelo assassinato da própria irmã, uma perita judicial de 47, na madrugada desta quinta-feira. A família mora no Bairro Santo Antônio, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A mãe deles acionou a polícia. Segundo ela, o filho usa drogas e ficou mais alterado por conta dos latidos do cachorro da irmã. 

O crime ocorreu por volta das 2h30. De acordo com a Polícia Militar (PM), a idosa contou que o filho chegou em casa alterado e com sintomas de ter usado drogas. Ao entrar no apartamento, ele discutiu com a irmã porque a cadela de estimação dela o estranhou e começou a latir. 

Em seguida, ele chutou o animal e começou a bater na irmã, também com chutes e socos. A mulher foi até o banheiro, mas o irmão a seguiu com uma faca e atingiu Julieta Werneck de Andrade Carsalade com um golpe no peito. Ela caiu no chão e perdeu a consciência.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros foram acionados, mas a morte da vítima foi confirmada. A mãe do casal contou que o filho é usuário de drogas e sempre chegava agressivo e causando transtornos à família.

Arrependido


Depois do crime, Carlos Andrade Carsalade fugiu em um Uno cinza. Os policiais fizeram buscas, mas até o registro da ocorrência ele não havia sido encontrado. Por volta das 10h20, a Polícia Militar informou que ele se entregou na sede do 22º Batalhão, no Bairro Santa Lúcia, na mesma região.

Segundo o tenente-coronel Fábio Almeida, comandante do batalhão, o homem chegou à unidade pouco depois das 10h, se apresentou de livre e espontânea vontade e relatou o que aconteceu. “Ele contou que fez uso de drogas, cocaína, ontem durante boa parte do dia. Ele chegou na casa onde residia com a irmã e a mãe e teve uma discussão com a irmã por um motivo extremamente fútil”, explicou o policial. “A irmã tinha adotado um cão há 40 dias, e ele se incomodava com o barulho do cão, que mordia o pé dele, e deu uma facada no peito da irmã”, disse o militar. 

Depois do crime, o homem fugiu para a casa da namorada, no Bairro Santa Lúcia. O carro usado na fuga foi apreendido pelos policiais. “Ele falou que se arrepende, que estragou a vida dele”, disse o tenente-coronel Fábio Almeida. “Ele já tem passagem por tráfico de drogas e já tinha um BO (boletim de ocorrência) anterior envolvendo briga entre os dois (a vítima e ele)”, afirmou o comandante do 22º Batalhão.

O suspeito foi levado à Delegacia de Plantão (Deplan) do Barreiro. De acordo com a Polícia Civil, foi ratificado o flagrante por feminicídio.


Publicidade