Publicidade

Estado de Minas

Arcebispo celebra missa de exéquias de dom Serafim; corpo será sepultado na Boa Viagem

Celebração está marcada para as 17h desta quinta-feira. Dom Walmor deixou o Sínodo da Amazônia em Roma para presidir a cerimônia


postado em 10/10/2019 06:00 / atualizado em 10/10/2019 07:57

Fiéis se despedem do cardeal dom Serafim na Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, onde o corpo será sepultado hoje, após missa marcada para as 17h(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Fiéis se despedem do cardeal dom Serafim na Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, onde o corpo será sepultado hoje, após missa marcada para as 17h (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)


O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, vai celebrar nesta quinta-feira, às 17h, no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua – Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, na capital, a missa de exéquias do cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo. Logo após a celebração eucarística, o corpo do arcebispo emérito de BH será sepultado na cripta do templo, no qual repousam os arcebispos dom Antônio dos Santos Cabral (1884-1967) e dom João Resende Costa (1910-2007).

Dom Walmor veio de Roma, Itália, onde participa do Sínodo da Amazônia, presidido pelo papa Francisco, especialmente para as cerimônias de despedida de dom Serafim, mineiro de Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha, e arcebispo de BH de 1986 a 2004. O papa Francisco enviou mensagem de pesar, na qual recorda a “paixão missionária” do cardeal “que fez crescer no coração dos fiéis o amor a Jesus Cristo e à sua Igreja”. Na terça-feira, quando o cardeal morreu aos 95 anos em decorrência de pneumonia, Francisco havia dedicado uma oração a ele.

A mensagem diz o seguinte: “Recebi com pesar a notícia do falecimento do cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo e desejo manifestar minha comunhão de orações com os seus familiares e todos os fiéis dessa arquidiocese, neste momento de luto. Confio à misericórdia de Deus o amado cardeal, que com tanto zelo serviu a Igreja, tendo sido padre conciliar durante o Concílio Vaticano II e, de modo particular, por mais de 50 anos se dedicou à Arquidiocese de BH, onde sua paixão missionária fez crescer no coração dos fiéis o amor a Jesus Cristo e à sua Igreja. Ao elevar fervorosas preces, sob a intercessão de Nossa Senhora da Boa Viagem, para que Deus acolha na sua felicidade eterna este seu servo bom e fiel, envio a essa comunidade arquidiocesana que chora a perda de seu amado pastor, à Igreja do Brasil e a quantos partilham esta hora de tristeza que anuncia a ressurreição”.

Coroas de flores

Ver galeria . 7 Fotos Cerimônia reuniu centenas de pessoas no Santuário de Adoração Perpétua Nossa Senhora da Boa Viagem, no Centro de BHMarcos Vieira/EM/D.A Press
Cerimônia reuniu centenas de pessoas no Santuário de Adoração Perpétua Nossa Senhora da Boa Viagem, no Centro de BH (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )

Quem for à Igreja Boa Viagem vai se emocionar com as homenagens ao cardeal, traduzidas, de forma especial, pela quantidade de coroas fúnebres – até o início da tarde de ontem, já eram 50 vindas de diversas instituições da capital e interior. Colocadas na porta principal e na lateral esquerda (de quem olha para o altar-mor), as coroas chamam a atenção, tanto que muitas pessoas param para fotografar e guardar de lembrança o “último adeus” a dom Serafim.

Ao lado dos familiares, o irmão caçula de dom Serafim, Eustáquio Afonso Araújo, conhecido como Tacão e ex-reitor da PUC Minas, destacou a vida e o trabalho pastoral do homem que viveu a vida “pregando a Palavra de Deus e exercitando o amor”. Tacão disse que dom Serafim gostava de dizer que “minha catedral é o povo”. Para ele, o irmão mais velho era mais do que dom Serafim. “Tinha o dom do amor, da generosidade, da amizade, da doação, do perdão”.

Muitos religiosos têm ido ao Santuário Arquidiocesano para se despedir do cardeal. Recém-nomeado como assistente pastoral da Igreja São Francisco de Assis, mais conhecida como Igreja da Pampulha, o padre Welinton Lopes contou que foi da última turma de religiosos ordenados por dom Serafim, em 2004. “Dom Serafim soube ser uma presença muito discreta e, ao mesmo tempo, muito forte”, afirmou padre Welinton, que é titular da Paróquia de Santo Antônio, no Bairro Jaraguá, na Região da Pampulha.

Programação


Cerimônias do adeus

HOJE
17h – Missa de corpo presente celebrada pelo arcebispo metropolitano de BH, dom Walmor Oliveira de Azevedo, seguindo-se o enterro na cripta onde estão sepultados os arcebispos dom Antônio dos Santos Cabral (1884-1967) e dom João Resende Costa (1910-2007)

Ver galeria . 15 Fotos Padre Serafim celebrando sua primeira missa, na Basília de São João de Latrão, em Roma (1949)Arquivo pessoal
Padre Serafim celebrando sua primeira missa, na Basília de São João de Latrão, em Roma (1949) (foto: Arquivo pessoal )


Publicidade