Publicidade

Estado de Minas

Igrejinha da Pampulha já está aberta: confira a programação e horários

Hoje, dia de São Francisco de Assis, haverá benção dos animais. Missas serão retomadas e mês para marcação de casamentos foi divulgado. Na cerimônia de reabertura, ipê foi plantado no jardim para chamar atenção para a defesa do meio ambiente


postado em 04/10/2019 09:42 / atualizado em 04/10/2019 10:03

Ver galeria . 7 Fotos No dia dedicado ao protetor da natureza, São Francisco de Assis, reabre as portas, na manhã desta sexta-feira, a Igrejinha da Pampulha, monumento que é espaço de fé, polo de turismo, cartão-postal brasileiro e patrimônio da humanidadeEdésio Ferreira/EM/DA Press
No dia dedicado ao protetor da natureza, São Francisco de Assis, reabre as portas, na manhã desta sexta-feira, a Igrejinha da Pampulha, monumento que é espaço de fé, polo de turismo, cartão-postal brasileiro e patrimônio da humanidade (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press )


O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, embarca amanhã (5) para Roma, Itália, onde participará, no domingo (6) da abertura do Sínodo da Amazônia, no Vaticano. Na manhã desta sexta-feira (4), o arcebispo e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CCBB) preside a reinauguração da Igreja São Francisco de Assis, mais conhecida como Igrejinha da Pampulha



Sob orientação de técnicos da Fundação de  Parques Municipais e Zoobotânica da Prefeitura de Belo Horizonte, uma muda de ipê será plantada na Praça Dino Barbier, do outro lado da igreja, sem interferência no jardim projetado por Burke Marx. Logo depois, haverá o momento da oração no interior do templo. Ao mesmo tempo, no Vaticano, o papa Francisco plantará uma muda de azinheira de Assis.

A muda de ipê-roxo-de-bola tem mais de 3 metros de altura e veio do Viveiro Burke Marx, do Jardim Botânico, da PBH. Dom Walmor disse que o gesto chama atenção para a preservação do meio ambiente, "nossa casa comum " é alerta para a destruição da natureza, como se viu recentemente na Amazônia. "Precisamos fortalecer a Ecologia Integral ", disse dom Walmor. 

No evento hoje, a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, falou sobre a nomeação do cinegrafista e ex-assessor de um parlamentar para a superintendência do Iphan em Minas, em substituição à museóloga e especialista Célia Corsino. Segundo ela, o Iphan tem um corpo técnico tão bom, que o serviço terá continuidade independentemente do profissional que ocupe o cargo.

Dom Walmor Oliveira atendeu jornalistas nesta manhã(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Dom Walmor Oliveira atendeu jornalistas nesta manhã (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)


A Igrejinha da Pampulha se encontrava fechada desde novembro de 2017, com um ano e três meses de obras. Os recursos federais, no valor de R$1,07 milhão, são do PAC das Cidades Históricas e foram repassados à Prefeitura de BH, que fez a licitação para escolha da empresa encarregada do restauro, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O acompanhamento técnico da obra ficou a cargo da autarquia federal, responsável pelo tombamento de todo o Conjunto Moderno da Pampulha, também protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) e Conselho Deliberativo Municipal do Patrimônio Cultural de BH.

Na noite desta sexta-feira (4), às 19h, haverá a bênção dos animais, uma tradição no dia de São Francisco de Assis. Segundo o assistente pastoral do templo vinculado à Arquidiocese de BH, padre Welinton Lopes, haverá missa todos os domingos, às 10h30 (veja o quadro), estando a Igreja aberta todos dias, a partir de hoje, das 8h às 18h.

Segurança


Na manhã de quinta-feira (3) o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, visitou o local e garantiu que intensificação da segurança, via Guarda Municipal, para se evitarem, principalmente, as pichações, como ocorreu em 2016 e 2017, e outros atos de vandalismo.

De acordo com a PBH, as intervenções incluíram revitalização de piso, revestimentos, pinturas, impermeabilização e recuperação de elementos danificados. Houve ainda a remoção do forro da nave, instalação de telhas e calhas, revisão da instalação elétrica e reforma dos sanitários.

Um dos maiores desafios durante a obra, conforme os engenheiros, foi conter as infiltrações que acometiam o interior da igreja. O problema já se manifestava há muitos anos e foram feitas intervenções anteriores, na busca de soluções para o grave problema. A identificação exata dos pontos de infiltração só pôde ser feita após a remoção do forro – após o início da obra, e apresentou pontos não previstos, que levaram à alteração da proposta inicial de intervenções.

Como parte das ações firmadas para a reabertura da Igreja da Pampulha, ficou a cargo da Arquidiocese de BH a recuperação do mobiliário original e da via-sacra Sacra de autoria de Cândido Portinari (1903-1962). A restauração dos 14 quadros foi feita pelo Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Universidade Federal de Minas Gerais (Cecor/UFMG).

Além das obras externa e interna do templo, a recuperação dos jardins também foi executada pela PBH, com plantas do viveiro batizado com o nome do autor do projeto original, Roberto Burke Marx (1909-1994).

Fique ligado


Hoje (4), às 19h – Bênção dos animais, por ser o dia de São Francisco de Assis, padroeiro da Igrejinha da Pampulha e protetor da natureza

Missas
Todos os domingos, às 10h30. No dia 12 de outubro (sábado), dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, também haverá missa nesse horário

Casamentos
Os casamentos para 2020 e 2021 poderão ser marcados a partir de janeiro

Visitação
A Igreja já está aberta para receber moradores e turistas. E estará assim todos os dias, das 8h às 18h


Publicidade