Publicidade

Estado de Minas

Serra do Cipó fica sem energia por quatro dias após forte chuva

Turistas reclamam e comerciantes do distrito de Santana do Riacho, na Região Central do estado, apontam prejuízos. De acordo com a Cemig, a luz voltou na tarde desta terça-feira


postado em 01/10/2019 17:39 / atualizado em 01/10/2019 22:37


Moradores, donos de pousadas e comerciantes da Serra do Cipó, no distrito de Santana do Riacho, na Região Central do Estado, contabilizam prejuízos da falta de energia na região por quatro dias. Eles relatam que uma chuva forte ocorrida no último sábado (28) provocou a queda de energia e alegam ter entrado em contato com a Cemig por diversas vezes, mas, até a manhã desta terça-feira, a empresa não teria dado sequer um prazo para religar a energia no local. De acordo com a empresa, a energia foi religada às 15h50 desta terça.

De acordo com moradores, cerca de 20 propriedades e comércios e quatro pousadas localizadas na Região do Alto do Palácio, na Serra do Cipó, estão passando pelo problema. Sérgio Lacerda, de 58 anos é proprietário de uma dessas hospedagens e afirma que sofreu diversos prejuízos: “Não consegui trabalhar no fim de semana, perdemos clientes e o absurdo maior é a demora para resolver o problema. Hóspedes cancelaram as reservas e corremos o risco de perder todo o estoque de alimentos e bebidas”, lamenta.

A empresária Josette Davis, 63, que mora no local, afirma que desde que empreiteiros assumiram o trabalho de manutenção na região, os problemas com esse serviço têm sido constantes: “Hoje que eles descobriram que caiu um poste. Os novos funcionários não conhecem a região, só descobriram depois de muita reclamação e insistência. O pior é o atendimento. No sábado deram o prazo de domingo até as 11h e chegou a voltar a luz, mas a 15 quilômetros daqui. Os empreiteiros não conhecem a região, não sabem que voltando em um lugar não vai voltar em outro.”

Josette conta que o prejuízo em sua propriedade poderia ter sido muito maior:  “O incômodo de ficar sem energia é horroroso, tive que jogar fora tudo que tinha no meu freezer e geladeira. As minhas placas solares podem ter queimado. A área onde eu moro é uma reserva que recebe animais silvestres e, por sorte, não tenho nenhum filhote de ave que precise de luz, mas se precisasse iam acabar morrendo. Sem contar que a gente fica à mercê de assalto e incomunicável.”
 
Em nota, a Cemig informou que atua na região desde sábado (28), por causa de danos causados pela queda de árvores sobre redes de energia. Porém, somente nessa segunda-feira (30) foi localizado o ponto do circuito de Santana do Riacho que apresentava problemas. Como o poste que precisa ser reparado fica em uma área remota, sem acesso para veículos, as equipes da Cemig precisaram transportar os equipamentos e estruturas novas a pé.
 

Problema ainda maior 

A Cemig informou ainda a falta de energia em Conceição do Mato Dentro e região. Afirmou que uma “forte ventania registrada no final da tarde de sábado provocou diversos danos ao sistema elétrico e a consequente falta de energia em cinco cidades da região (Santo Antônio do Rio Abaixo, Dom Joaquim, Morro do Pilar, Congonhas do Norte e Conceição do Mato Dentro)”. A concessionária acrescentou que “dezenas de profissionais trabalharam na recomposição do sistema, que teve postes e outras estruturas atingidas por árvores.

De acordo com a Cemig, em poucas horas as equipes restabeleceram a energia em três cidades. Porém, devido à complexidade da manutenção, Congonhas do Norte e Conceição do Mato Dentro tiveram fornecimento parcialmente interrompido até a manhã seguinte, “mas os serviços essenciais como os de saúde e abastecimento de água contaram com unidades móveis de geração, disponibilizadas pela Cemig”, destaca a nota.

* Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira.


Publicidade